Coelce tem grau de investimento rebaixado pela Standard & Poor’s

A Standard & Poor’s (S&P) tirou nesta quinta-feira (10) o grau de investimento da Companhia Energética do Ceará (Coelce). Além da concessionária, a agência rebaixou a nota da Petrobras e de outras 29 empresas brasileiras como desdobramento direto da perda do grau de investimento do Brasil. 
De acordo com a S&P, a nota da Coelce foi rebaixada em dois níveis, foi  de “A-1” para “AA+”, com perspectiva negativa. Em comunicado divulgado na noite desta quinta-feira, a assessoria da Coelce “esclarece que a queda do rating da companhia é consequência da queda do rating do país”.
A ação de rating acontece um dia após o rebaixamento da nota de crédito soberano do Brasil, que perdeu o selo de bom pagador na classificação da S&P.
Os bancos brasileiros também tiveram seus ratings afetados após o corte da nota do Brasil:13 instituições financeiras também foram rebaixadas nesta quinta-feira. Duas já não tinham grau de investimento; as demais o perderam. Entre os bancos que têm agora grau especulativo estão o Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, BNDES e Caixa Econômica Federal.
Selo de bom pagador
O grau de investimento é um selo de qualidade que assegura aos investidores um menor risco de calotes. A partir da nota de risco atribuída aos títulos de dívidas de países e empresas, os investidores podem avaliar se a possibilidade de ganhos (por exemplo, com juros maiores) compensa o risco de perder o capital investido com a instabilidade econômica local.

Alguns fundos de pensão internacionais, de países da Europa ou os Estados Unidos, por exemplo, seguem a regra de que só se pode investir em títulos que estão classificados com grau de investimento por agências internacionais.
Curta e compartilhe:
1k