Deputado diz ser perseguido por Eunício e acusa: PMDB virou instituição privada do senador

Na Foto:  Aníbal Gomes, Eunício Oliveira e Agenor Neto.
O PMDB do Ceará nunca foi dos deputados e prefeitos. Sempre foi uma instituição privada de propriedade do senador Eunício Oliveira, atual dirigente estadual da legenda. Disparou, nesta terça-feira, em tom de revolta, o deputado federal peemedebista Aníbal Gomes.
O parlamentar denuncia que virou alvo de perseguição em suas bases, por parte do líder do PMDB no Senado, por ter se colocado, de “forma fria”, na última disputa para o Governo. Eunício foi candidato ao Palácio da Abolição e perdeu para o petista Camilo Santana que, na disputa, teria obtido o apoio de Aníbal em suas bases no interior.
De acordo com Aníbal, em represália, Eunício vem ameaçando retirar diretórios municipais de suas bases e oferecer o controle para opositores.
O parlamentar aproveitou para se dizer inocente no caso da Operação Lava Jato, onde teve nome citado. A operação tocada pela Polícia Federal investiga distribuição de propina na Petrobras em favor do PT e de aliados da legenda.
Aníbal Gomes garante que não recebeu apoio nem dinheiro de empreiteira e que não está preocupado. Ele disse que espera ser chamado para depor e “esclarecer rapidamente essa situação”.
Com informações de Eliomar de Lima
Curta e compartilhe:
1k