INTA declara apoio a estudantes contra as novas regras do FIES

As novas regras para o Financiamento Estudantil (FIES), estabelecidas pelo Ministério da Educação (MEC), impossibilitaram estudantes de todo o país de acrescentarem novos créditos neste semestre letivo. Atentas aos prejuízos causados, as Faculdades INTA manifestaram apoio aos acadêmicos através da criação do Movimento “Educação Superior é direito de todos”.
O objetivo da Instituição é reivindicar, juntamente com os estudantes, que o acesso ao FIES não seja limitado pelas novas medidas impostas pelo MEC. Com a determinação de um teto máximo de 6,41% para reajustes do valor da semestralidade, os estudantes ficaram impossibilitados de acrescentar créditos em 2015.1.  Além disso, devido o atraso na liberação do SisFIES, estudantes de todo o Brasil foram impedidos de realizar suas adesões e renovações antes do início do período letivo, o que provocou apreensão e prejudicou o atendimento por parte das Instituições.
Para diminuir os transtornos, o INTA reforçou e ampliou o período de atendimento, bem como limitou o reajuste anual ao estabelecido pelo MEC. “A medida, determinada unilateralmente pelo MEC, sem uma consulta das Instituições de Educação Superior, provocou estes problemas, pois se isto tivesse sido feito, teríamos sinalizado que este tipo de caso ocorreria”, explica o Pró-diretor Executivo Institucional das Faculdades INTA, Daniel Rodrigues.
Entenda a nova regra e como afeta os estudantes

Suponhamos que o valor da semestralidade para 20 (vinte) créditos em um curso oferecido por uma Faculdade seja de R$ 1.000,00 em 2014.2. Caso o estudante tente inserir mais 4 (quatro) créditos, totalizando 24 (vinte e quatro) créditos em 2015.1, o valor subiria, sem reajuste, para R$ 1.250,00, ou seja, um valor 25% maior que o aditado no semestre anterior. Como esse total superaria os 6,41% estabelecidos pelo MEC, o aditamento seria negado. Desse modo, os alunos acabam atrasando seus cursos, pois com o passar dos semestres, o número de créditos tende a aumentar. E com o atraso, no final de suas graduações acabarão perdendo o financiamento, pois ele tem limite de tempo de vigência.
Curta e compartilhe:
1k