Luto | Ícone da música, Cauby Peixoto morre em São Paulo aos 85 anos

Cauby Peixoto angariou milhões de fãs pelo Brasil
Internado desde o dia 9 de maio no Hospital Sancta Maggiore, no Itaim Bibi, na zona sul de São Paulo.

Segundo o fã clube do artista, ele morreu por volta da meia-noite deste domingo. O hospital informou que o cantor teve um quadro de pneumonia.
Cauby Peixoto Barros nasceu em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, em 10 fevereiro de 1931. Cresceu numa família de artistas. Trabalhou no comércio até começar a participar de programas de calouros no rádio, no fim da década de 40.
No início da década de 1950, ele se apresentou em programas de talentos como a Hora dos Comerciários, na Rádio Tupi. Gravou o primeiro disco pelo selo Carnaval em 1951 com o samba Saia branca, de Geraldo Medeiros e a marcha Ai, que carestia!, de Victor Simon e Liz Monteiro. 
Em 1952, transferiu-se para São Paulo, onde cantou nos bares Oásis e Arpége, além de se apresentar na Rádio Excelsior. Não demorou muito para Cauby se transformar em ídolo do rádio. Entrou para o elenco da Rádio Nacional e dois anos depois já era o cantor mais famoso do rádio, passando a ser perseguido pelas fãs em qualquer lugar onde estivesse.
O cantor gravou inúmeros álbuns e angariou milhões de fãs pelo Brasil durante a sua longa carreira na música, tendo feito digressões pelo exterior, nomeadamente nos Estados Unidos.
Em 65 anos de carreira, teve grande sucesso com músicas como Blue Gardenia, Conceição, Mil Mulheres, Bastidores, New York, New York e Nada Além.
Cauby Peixoto estava em turnê pelo Brasil com a cantora Angela Maria. Os espetáculos comemoravam os 60 anos da carreira dos dois artistas. No repertório, sucessos como Vida da bailarina, Cinderela, Gente humilde, Bastidores, Babalu e Conceição.
Curta e compartilhe:
1k