Santa Casa de Sobral realiza o centésimo transplante de córneas

Dr Ribamar Fernandes e a Srª Rita Facundo, após transplante na SCMS
Equipe responsável pelo transplante de córnea na Santa Casa

Na última quinta-feira, dia 29, a Santa Casa de Misericórdia de Sobral (SCMS) marca em sua história de quase 90 anos, um feito memorável. Nas suas dependências, sob o amálgama da caridade, foi realizado o centésimo transplante de córnea. Ratificando o hospital como um dos mais importantes do Nordeste brasileiro a Santa Casa comemora a marca dos primeiros 100 transplantes de córneas realizados com muita dedicação e empenho de todos. 

Muitas histórias e personagens diferentes se passaram durante este tempo. O centésimo transplante, entretanto, contemplou a Srª. Rita Facundo de Sousa, natural e residente no município de Frecheirinha, Ceará.  Trata-se de uma paciente com grande histórico de sofrimento visual, pois possui glaucoma há vários anos e desenvolveu catarata, quando foi operada dos dois olhos. Devido às cirurgias, extremamente necessárias, e a fragilidade de suas córneas acabou perdendo a visão dos olhos por uma “ceratopatia bolhosa”.  Como não havia o serviço em nossa região, e a fila ainda demorar aqui no estado, optou por procurar um serviço de oftalmologia em Brasília-DF; ocasião em que chegou a realizar transplante nos dois olhos. Porém com pouco tempo houve rejeição da córnea do olho esquerdo.
Escuridão e Esperança                                                       
Em Sobral, através da Santa Casa, veio a esperança para dona Rita Facundo, pois seria submetida a um novo transplante. Conforme o médico oftalmologista, Dr. Ribamar Fernandes, responsável pelos transplantes no hospital, a cirurgia transcorreu dentro da normalidade. “O que é preciso agora é ver como o organismo irá reagir com o implante desta nova córnea.  Espero que tenha sucesso e que boa parte da visão do olho esquerdo seja recuperada”, explica o médico. Ele enfatizou, ainda, que naquele momento de felicidade da família, por ter uma pessoa recebendo uma córnea, outra família encontra-se enlutada pela perda de um parente. “Devemos passar todos nossos sentimentos de pesar para as famílias dos doadores, pois sabemos que não é fácil perder alguém que se ama. Ao mesmo tempo em que deixamos a certeza que este ato sublime de doação acaba, de alguma forma, levando algum conforto para elas”, ressalta Dr. Ribamar Fernandes. A doação que devolveu a luz dos olhos de dona Rita Facundo veio de um paciente de apenas 18 anos.
Ato Nobre
A doação de órgãos costuma ser um tema  de natureza delicada, que muitas vezes tem um apelo emocional, quando retratada em peças de publicidade. Isto acontece porque, em sua essência, trata-se do final de uma vida dando esperanças e a oportunidade à uma nova vida, geralmente a de um desconhecido. É um ato absolutamente solidário e nobre, carregado de emoção e humanismo, representado pela chance de alguém fazer o bem mesmo após a morte. 
Sobre o momento do centésimo transplante na  Santa Casa de Sobral, Dr, Ribamar Fernandes destaca a importância do crescimento do serviço. “A população de todo Ceará e não somente da cidade tem que saber o que estamos fazendo aqui na Santa Casa de Sobral. Não é fácil criar um serviço deste porte na Região Nordeste, mais ainda no sertão. Tudo isso é apenas o começo, pois com o funcionamento do Banco de Olhos aqui no hospital a tendência é aumentar as doações e por consequência a procura dos pacientes, até mesmo de outros estados, também crescerá e estaremos preparados para isso”, finaliza Dr. Ribamar Fernandes.

Por Jonas Deison, com informações do Blog Encontro com a Saúde

Curta e compartilhe:
1k