Adolescente descobre molécula que impede infecção pelo novo coronavírus

A adolescente Anika Chebrolu, 14 anos, recebeu o prêmio de Melhor Jovem Cientista da América de 2020 pela descoberta de um possível medicamento antiviral que pode se ligar ao novo coronavírus (SARS-CoV-2), e inviabilizá-lo. Por conta da descoberta, a adolescente, que estuda nos Estados Unidos, ganhou, ainda, US$ 25 mil (R$ 140 mil) do comitê da premiação.

Anika Chebrolu usou, em sua pesquisa, simulações de computador para rastrear, entre milhões de moléculas, quais seriam capazes de se ligar à proteína spike do Sars-CoV-2. Como explicam os especialistas, é justamente essa espícula que o novo coronavírus utiliza para entrar nas células humanas. Ou seja, bloqueá-la impede que o microrganismo infecte as células.

Chebrolu encontrou a molécula com melhor atividade farmacológica e biológica em relação à proteína spike do patógeno dentre todas as analisadas. A substância escolhida, como explicam os organizadores do prêmio, pode ser uma droga para o tratamento eficaz de Covid-19.

Fonte: Diário do Nordeste

- Advertisement -

Deixe uma resposta