Advogado é espancado e arrastado por PMS: “O que mais me dói é a vergonha”

Um dia após ser espancado e arrastado por policial militar em rua de Goiânia, com as mãos algemadas às costas, um advogado de 32 anos disse ao Jornal Metrópoles nesta quinta-feira (22) que a violência adiou o sonhado pedido de casamento dele. O jurista iria fazer convite-surpresa para a noiva à noite, mas parou na delegacia por causa de tapas na cara e socos que levou de um tenente mais cedo.
.
Com sete anos de carreira, o advogado Orcélio Ferreira Silvério Júnior foi alvo de golpes do 1º tenente Gilberto Alves da Costa, na tarde de quarta-feira (21), após tentar interceder por uma pessoa em situação de rua, que também foi agredida. O oficial, que ainda arrastou o jurista algemado pela rua, foi afastado das ruas pela PM . O governador Ronaldo Caiado (DEM) disse que houve excesso por parte do militar
.
“Perdi sapato, aliança, relógio, enquanto estava sendo agredido. Um pouco da minha dignidade também foi embora. Tudo isso no dia em que eu iria pedir minha noiva em casamento”, disse ele, ao Metrópoles, com a voz carregada de emoção, enquanto tentava segurar o choro ao telefone.
.
O advogado, que atua nas áreas de Direito Tributário e de Trânsito, tem relacionamento com a designer gráfica Fernanda Trevisan faz cinco anos. “Iria fazer surpresa com o pedido de casamento para ela ontem [quarta-feira], mas não deu certo porque fui agredido enquanto eu estava trabalhando”, contou ele.
.
Informações: Metrópoles

Deixe uma resposta