Ceará eleva estoque de empregos formais e chega a 1,4 milhão de vagas

Dados são relativos à quantidade de empregos de 2017.

O Ceará teve crescimento do estoque de empregos formais e chegou a 1.464.948 vínculos em 2017, aponta a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho, divulgada nesta sexta-feira (5). Foram 21.583 novas vagas, o que representa um aumento de 1,5%, em comparação com 2016.

Os setores com mais postos de trabalho preenchidos foram o de serviços, que fechou o ano com 484.052 empregos; administração pública, com 404.399 postos; e comércio (259.124).

Número de empregos formais no Ceará por setor

Setor da atividade econômica20162017Variação absolutaVariação relativa (%)
Extrativa mineral2.9992.701-298-9,94
Indústria da transformação23.2501226.013-6.488-2,79
Serviços industriais de utilidade pública8.5569.0625065,91
Construção civil61.51625.267-5.249-8,53
Comércio260.979259.124-1.855-0,71
Serviços483.741484.0523110,06
Administração pública369.758404.39934.6419,37
Agropecuária23.31523.330150,06
Total1.443.3651.464.94821.5831,5

A Rais é a base de dados mais completa sobre empregadores e trabalhadores formais no Brasil. O documento traz informações sobre todos os empreendimentos formais do país, desde aqueles sem nenhum funcionário até empresas com milhares de empregados.

A partir dos dados da Rais é obtido o perfil das empresas e dos trabalhadores brasileiros, que serve para a elaboração de políticas públicas de emprego do governo e para o pagamento de benefícios.

O número de empregos formais no Brasil cresceu em 2017 e alcançou 46.281.590 vínculos. Isso representa aumento de 0,5% em relação a 2016 – foram 221.392 postos de trabalho a mais.

A remuneração média do brasileiro teve alta de 2,1% em 2017, chegando a R$ 2.973,23. O salário das mulheres cresceu mais do que dos homens, passando para R$ 2.708,71 (elevação de 2,6%). O salário médio masculino cresceu 1,8%, alcançando média de R$ 3.181,87.

Deixe uma resposta