Cearense percorre o Brasil de bicicleta e já pedalou mais de 2 mil quilômetros: ‘Quero chegar nos Estados Unidos’

João Assunção Alves, de 24 anos, decidiu mudar de vida após passar por uma pneumonia e perder o emprego. Agora, ele viaja de bicicleta pelo país e busca encontrar novas oportunidades.

O cearense João Assunção Alves atendeu a ligação do g1 em um posto de gasolina no estado do Mato Grosso, no improviso mesmo. E é assim que ele tem vivido desde o dia 6 de junho deste ano, quando decidiu sair de Fortaleza viajando pelo Brasil e com o plano de chegar em outros países. Um detalhe: tudo isso de bicicleta.

João tem 25 anos, é carpinteiro, e morava no Bairro Planalto Ayrton Senna, na capital cearense. Ele se autointitula como “guerreiro de bike” e decidiu começar a aventura após sair do emprego e passar por uma pneumonia. João afirma que já pedalou quase 3 mil quilômetros.

“Em Fortaleza vivi muito preconceito, violência, estava temeroso. Sempre acompanhei brasileiros que moram fora do país. Inspirado, caí na estrada. Surgiu essa ideia no meu coração, mas não tinha colocado para a frente porque estava vivendo uma vida tranquila. Depois que perdi meu emprego, vi como uma solução partir para essa viagem e tentar uma melhoria de vida, fugir da violência que existia na minha realidade”, comentou com o g1.

Desde que começou a aventura, ele vem chamando atenção do público nas redes sociais. Só no TikTok, por exemplo, já tem mais de 45 mil seguidores. Lá ele compartilha a rotina e mata a curiosidade dos internautas.

A família de João ficou em Fortaleza. A esposa aceitou com tranquilidade, segundo ele, a ideia de pedalar pelas estradas. Ele pretende chegar até os Estados Unidos, mas ainda precisa resolver questões burocráticas, como o visto de entrada no país.

“A minha realidade, juntamente com a da minha esposa, é difícil. Então foi fácil chegar em uma resolução do que precisava ser feito. Saudade tem, mas sabemos que estamos em um propósito e tem que esperar, ter paciência.”, disse João.

Além de carpinteiro, João trabalhava vendendo produtos na praia para conseguir iniciar a viagem. — Foto: Arquivo pessoal

Antes de viajar, João se preparou vendendo comidas na praia e fazendo alguns ‘bicos’. Ele conta ter viajado com pouco dinheiro e, por isso, abriu uma vaquinha online para quem quiser ajudar com sua travessia.

A sua relação com a bike é antiga. Em Fortaleza, usava o veículo como transporte para vários lugares. Era fácil pedalar 20 ou 30 km e agora disse fazer 100 km em um dia.

E essa é a agenda do cearense: acordar cedo e tomar um café reforçado. Às 7h já está na estrada e encerra às 17h. Os postos de gasolina têm sido sua base durante a noite. Nesses locais ele arma a barraca, enche o colchão inflável e descansa. É também onde edita e publica seus vídeos.

O virtual, inclusive, tem sido importante para este momento: não só pela campanha online, mas também para trocar figurinhas com outros aventureiros, falar com a família e, claro, deixar seus seguidores abastecidos com as novidades.

“Quando a vida te dá limões, você tem que fazer uma limonada. Tinha saído de uma pneumonia e reuni os recursos que eu tinha para fazer essa viagem. Dinheiro não tenho. É de bicicleta que estou indo mesmo. Na vida a gente tem que trabalhar com os recursos que a gente tem, e estou tentando maximizar isso através da internet”, detalhou.

Para sair pela estrada, João opta por usar roupas que o protejam do sol. Água também não pode faltar. Na garupa da bicicleta ele leva uma caixa com roupas, a barraca e outros produtos pessoais. O viajante também conta com a ajuda que recebe no caminho.

No dia que conversou com o g1, na tarde do dia 5 de julho, estava em Barra do Garças, no Mato Grosso. João já passou por Piauí, Brasília, Goiás (só para citar alguns locais) e pretende chegar em Rondônia nos próximos dias.

“Desde que comecei uma série no meu canal do Youtube contando sobre a viagem, muitas pessoas têm chegado até mim por mensagem falando ‘cara, isso aqui tá melhor que Netflix'”, brincou.

O plano é chegar nos Estados Unidos, mas ele ainda precisa resolver algumas coisas para entrar de forma legal. João disse que sabe um pouco de espanhol e inglês e conta com o contato com essas línguas para melhorar sua fluência.

Já sobre os perrengues de viagem, disse temer algumas adversidades da estrada, como animais, pneus furados. Apesar de estar preparado, esta é a primeira vez que ele sai do Ceará.

“No começo achava difícil dormir fora do conforto e segurança de casa. Ficava com medo de armar minha barraca e alguém fazer o mal. Mas, hoje não tem tantos perrengues. O maior é a questão do celular, que não tem um processador muito bom. O pneu que antes furava aprendi a remendar”, explicou.

A jornada de João já é quase uma série – dessas que só podia ter saído do Ceará. Com disposição, bom humor e organização, ele tem dado um novo sentido à vida:

“A minha luta é para romper a minha realidade, o meu destino. Quero chegar nos Estados Unidos, ficar legalmente, trabalhar. Se você realmente quer algo do fundo do seu coração, não importa qual a condição que você tem no momento. Muitas pessoas mais humildes, assim como eu, têm o desejo de ir para outro país: não pense duas vezes, apenas comece”, concluiu.

Fonte: G1 Ce

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.