Cid Gomes, Izolda Cela e dezenas de prefeitos do Ceará se filiam ao PSB

O senador Cid Gomes, a ex-governadora Izolda Cela e dezenas de prefeitos cearenses se filiaram neste domingo (4) ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) em cerimônia em Fortaleza com presença de diversas figuras políticas, incluindo o ministro da Educação, Camilo Santana, e o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin.

A filiação de Cid e seu grupo político põe fim a uma novela que se desenrolava há meses no Ceará, após o rompimento do senador Cid Gomes com seu irmão, Ciro Gomes, e o partido que abrigava os dois, o Partido Democrático Trabalhista (PDT).

A cerimônia, realizada em um hotel da capital cearense, contou com a presença de inúmeras figuras do cenário político estadual e nacional. A solenidade foi aberta por Eudoro Santana, pai de Camilo Santana e presidente do PSB Ceará.

Entre os presentes estavam a vice-governadora do Ceará, Jade Romero (PT); o ministro do Empreendedorismo, o paulista Márcio França (PSB); o senador por Goiás, Jorge Kajuru (PSB); a senadora cearense Augusta Brito (PT); o líder do governo federal na Câmara dos Deputados, o deputado José Guimarães (PT); e diversos deputados estaduais e federais.

A filiação marca o retorno de Cid ao PSB após ter deixado o partido em 2013, quando a legenda se preparava para lançar Eduardo Campos à Presidência da República. À época, Cid defendeu que o PSB continuasse a apoiar Dilma Roussef, e deixou a sigla quando a candidatura de Eduardo foi selada.

Além de Cid, 37 prefeitos de várias regiões do Ceará se filiaram ao PSB neste domingo. Com isso, o PSB deve se tornar a sigla com o maior número de prefeituras no Ceará.

A ex-governadora do Ceará e atual secretária-executiva do ministério da Educação, Izolda Cela, também ingressou na sigla neste domingo. A disputa pela reeleição de Izolda ao cargo de governadora em 2022 foi uma das causas do rompimento entre Cid e Ciro. 

À época, o PDT optou por lançar um novo candidato ao governo do Ceará, o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, apoiado por Ciro Gomes, em vez de apoiar Izolda, que era a governadora e tinha o apoio de Cid.

A decisão de não apoiar Izolda causou um racha no PDT e provocou o fim da aliança de 16 anos entre PT e PDT no Ceará. Desde então, o grupo liderado por Cid disputava o comando do PDT no Ceará, até que o senador e seus aliados resolveram sair do partido e buscar uma nova sigla, o PSB.

Em seu discurso, Eudoro Santana fez referência ao racha no PDT que levou à saída de Cid. “Além de você engrandecer o PSB, eu quero fazer uma espécie de desagravo, diante da população do Ceará, diante do que o PDT do Ceará fez com você, com uma figura exemplar do estado Ceará, que não merecia isso”, disse Eudoro.

Segundo Eudoro, a expectativa é que, nos próximos dias, após autorização da Justiça eleitoral, os deputados estaduais e federais do grupo de Cid Gomes também deixem oficialmente o PDT e se filiem ao PSB.

Fonte: G1 CE

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.