Ciro volta a atacar e conclama aliados a denunciar “marginais de farda”

Circula nas redes sociais e WhatsApp nesta quarta-feira, 15, vídeo em que o secretário de Saúde Ciro Gomes (Pros) volta a atacar existência de milícias na Polícia Militar. Em evento para aliados realizado na última segunda no Marina Park, o gestor conclama aliados a denunciar “marginais de farda” e oferece até seu celular pessoal para denúncias.

“Essa pequena minoria (de marginais) nós temos que ir pra cima, porque polícia só merece respeito quando está a serviço da lei (…) vamos para cima, fotografar a cara do bandido, manda pro meu celular, anota aí, [Ciro cita seu telefone], e nós vamos para cima para limpar de marginais ligados ao narcotráfico”, diz.

Ciro ainda atribui liderança do grupo ao deputado estadual eleito Capitão Wagner (PR), a quem classifica como “vagabundo” e “frouxo”. Segundo o secretário, tais milicianos estariam ligados ao narcotráfico e a serviço da candidatura de Eunício Oliveira (PMDB) – a quem Ciro chama de “Pinóquio” no vídeo.
Em sua página do Facebook, Capitão Wagner nega e critica sua associação a atividades ilegais na polícia. “Milícia é uma família que quer ser dona do Ceará e acha que vai se perpetuar no poder. O povo cearense não aguenta mais tanta arrogância, tanta prepotência”, diz o texto.
Crise na PM
Ânimos entre grupo político de Cid e Ciro Gomes e de Capitão Wagner – deputado mais votado na história do Ceará – têm acirrado nas últimas semanas. Acusações entre o governador e o deputado teriam motivado inclusive ação da Justiça Eleitoral pedindo envio de reforços federais para garantir normalidade do 2º turno no Ceará.


Com iinformaçõesdo Jornal O POVO