Como enviar e receber dinheiro pelo WhatsApp; Veja passo a passo

O WhatsApp começou a liberar, nesta terça-feira (4), a opção de transferir e receber dinheiro entre os usuários brasileiros. A reportagem reuniu uma série de perguntas e respostas sobre a nova modalidade.

Não haverá cobrança de taxas, mas a facilidade por enquanto só está disponível para clientes de duas bandeiras de cartões e de nove empresas financeiras do país. 

Vale lembrar que o recurso ainda não está disponível para todos os usuários, a atualização deve ocorrer de forma gradual. Por isso, é preciso atualizar constantemente o aplicativo em sua loja de apps, seja do iPhone ou de celulares Android.

COMO ENVIAR DINHEIRO PELO WHATSAPP? 

Para iniciar o procedimento, vale ressaltar que você precisa cadastrar um cartão de débito, pré-pago ou combo com as duas bandeiras que são aceitas: Visa ou Mastercard. Veja o passo a passo: null

Transferências via WhatsApp
Legenda: Pagamentos no WhatsApp estarão disponíveis no campo de mensagensFoto: Divulgação/Whatsapp
  • Toque no ícone de “clipe de papel” (Android) ou “+” (iPhone) e escolha a opção “Pagamento”; 
  • Insira o valor e uma mensagem, caso considere necessário; 
  • Aperte em “Pagar” e coloque o PIN (senha) do Facebook Pay; 
  • A transação vai aparecer como se fosse uma mensagem na conversa do WhatsApp; 
  • A pessoa precisa aceitar o pagamento e, só depois, o dinheiro cairá na conta dela. 

Atenção! Se for a primeira vez usando o serviço, fique atento aos passos adicionais: 

  • Para iniciar, será preciso aceitar os termos de uso; 
  • Em seguida, crie um PIN (senha) do Facebook Pay; 
  • Cadastre um cartão pré-pago ou de débito de uma das instituições parceiras; 
  • Ao final, confirme o cadastro na plataforma. 

COMO RECEBER DINHEIRO PELO WHATSAPP? 

Para receber, o destinatário precisa se atentar que deve ter o mesmo banco do remetente. Além disso, para ter o dinheiro creditado em sua conta, você precisa aceitar que o valor seja transferido para ela.  

QUAL O VALOR MÍNIMO E MÁXIMO PERMITIDO?  

Haverá limite para o envio e o recebimento de dinheiro pelo aplicativo, mas vale lembrar que não serão cobradas taxas pelas transferências. Confira abaixo as situações: 

  • As pessoas podem enviar até R$ 1.000 por transação (No entanto, é possível mandar mais de R$ 1.000 por dia, mas em transferências separadas); 
  • Cada usuário pode receber até 20 transferências por dia; 
  • Há um limite de R$ 5.000 por mês para cada tipo de operação, ou seja, R$ 5.000 para recebimentos e outros R$ 5.000 para envio. 

Segundo o WhatsApp, as instituições podem ainda estabelecer um limite menor para as transferências. Inclusive, alguns dos bancos também vão enviar links com convites para acessar o recurso e explicar as regras individuais. 

QUAIS OS BANCOS QUE PERMITEM O SERVIÇO? 

Inicialmente, o serviço será habilitado para usuários do aplicativo com cartões de débito, pré-pago ou combo do Banco do Brasil, Banco Inter, Itaú Unibanco, Nubank, Mercado Pago, Next, Bradesco, Sicredi e Woop Sicredi, com as bandeiras Visa e Mastercard.  

Segundo o WhatsApp, o acesso está aberto para outras empresas interessadas que decidirem se tornar parceiras através da plataforma Cielo.  

É POSSÍVEL FAZER PAGAMENTOS PELO WHATSAPP WEB? 

Até o momento não há confirmação da possibilidade de realizar as transferências a partir do WhatsApp Web.  

TODOS OS APARELHOS VÃO TER ESSA FUNCIONALIDADE? 

Inicialmente, apenas uma parte dos mais de 130 milhões de usuários terão acesso ao serviço. Segundo o aplicativo, aos poucos a atualização deve estar disponível para todos dispositivos, seja Android ou IOS. Os usuários devem atualizar frequentemente o aplicativo nas lojas Apple Store ou Play Store. 

QUAIS AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DE UTILIZAR ESTE SERVIÇO? 

O serviço chega uma inovação que pretende otimizar vendas, principalmente, para pequenos empreendedores. A principal vantagem é a facilidade de completar vendas sem precisar de uma estrutura própria, como um site. 

Além disso, de acordo com o WhatsApp, mais de 175 milhões de pessoas trocam mensagens pelo app na modalidade Business e mais de 40 de milhões de pessoas acessam um catálogo de negócios todos os meses, sendo 13 milhões no Brasil. 

Entre as desvantagens, o aumento de vítimas de clonagem e golpe de WhatsApp cresce no país. Ainda em 2020, o dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, realizou um levantamento sobre o cenário da cibersegurança no Brasil. A análise aponta que 473 mil brasileiros tenham sido vítimas do golpe de Clonagem de WhatsApp, uma média de mais de 15 mil vítimas do golpe por dia.

COMO SE PROTEGER CONTRA GOLPES VIRTUAIS 

Com o início de novas tecnologias, os usuários precisam redobrar a atenção na hora de conectar os dados nos aplicativos. Veja quatro dicas: 

  • Utilize soluções de segurança no celular que disponibilizem proteção contra ameaças digitais.  
  • Ative a autenticação em dois fatores, disponível no próprio WhatsApp, para aumentar a segurança da conta e evitar clonagens. 
  • Busque informação! Recentemente, o dfndr lab mapeou os temas mais populares utilizados por cibercriminosos em golpes de clonagem de WhatsApp.  
  • Tenha cuidado ao clicar em links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais. Sempre verifique as informações compartilhadas e desconfie de promoções, notícias sensacionalistas e descontos.  

BANCO CENTRAL AUTORIZA TRANSFERÊNCIAS BANCÁRIAS PELO WHATSAPP

Após nove meses em análise, o Banco Central autorizou, ainda em março, que os usuários façam transferências bancárias por meio do WhatsApp, aplicativo que pertence ao Facebook.

A ferramenta já havia sido lançada em junho do ano passado, mas foi barrada pelo regulador em seguida.

“Esses arranjos e instituição de pagamentos têm relação com a implementação do programa de pagamentos vinculado ao serviço de mensageria instantânea do WhatsApp (Programa Facebook Pay). As autorizações permitem que ele seja utilizado para realizar a transferência de recursos entre seus usuários”, disse o BC em nota.

Para dar o aval, o BC incluiu o Facebook na categoria de iniciador de transações de pagamentos, uma espécie de instituição de pagamentos. O serviço será oferecido em parceria com as bandeiras de cartão Visa e Mastercard.

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta