Cresce número de dengue no município; cerca de 80% dos focos estão localizados em imóveis residenciais

No primeiro semestre de 2021 a Prefeitura de Sobral, por meio da Secretaria da Saúde, registrou 246 casos de dengue no município. Durante o mesmo período de 2020, foram confirmados apenas 37 casos. Além da dengue, neste ano já foram confirmados nove casos de chikungunya e um de zika. Cerca de 80% dos focos estão localizados em imóveis residenciais, de acordo a Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ).

O gerente da UVZ, Rafael Lima, alerta para a necessidade da participação da população na luta contra o mosquito, intensificando os cuidados para eliminar criadouros de Aedes aegypti. “Identificamos que a concentração dos focos do mosquito em Sobral se dá em imóveis residenciais. Por isso destacamos a importância da participação popular na prevenção e combate”, explicou Rafael.

Ele reforça que as ações são simples e rápidas. “As medidas são simples: tampar os potes, as cisternas, caixas d´água e a limpeza dos quintais. O processo todo leva entre 10 e 15 minutos. É importante que usemos esse momento em que muitos ainda estão em regime de teletrabalho para intensificar essa luta”, disse o gerente.

Além das ações que podem ser praticadas pela população, a Prefeitura de Sobral está tomando uma série de medidas para eliminar o mosquito da dengue. Dentre elas, a fiscalização e limpeza de terrenos particulares com acumulo de lixo, utilização do carro fumacê e intensificação das atividades dos agentes de endemias.

A limpeza de terrenos particulares iniciou na quinta-feira (15/07) e é realizada pela Secretaria da Conservação e Serviços Públicos (Sesep), em parceria com a Secretaria do Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), responsável pela fiscalização desses imóveis. Já a Unidade de Vigilância de Zoonoses realiza a identificação dos pontos críticos e mais propícios a criação de focos. Após a limpeza, as despesas são repassadas para o proprietário do terreno.

A Prefeitura dispõe ainda do “Flagrante Sujão” (WhatsApp 88 9.8802-5029), serviço de denúncias coordenado pela Agência Municipal do Meio Ambiente (AMA) para envio de denúncias de descarte irregular de lixo.

Deixe uma resposta