Diretor-geral da PF afasta delegado que investiga fake news e filho de Bolsonaro

O diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, trocou nesta sexta-feira, 8, o chefe da superintendência no Distrito Federal. O nome a sair é o de Hugo de Barros Correia, policial indicado por outros delegados. Segundo informações da Folha de S.Paulo, ambos nunca tiveram proximidade.

Atualmente, está no comando de algumas apurações delicadas e importantes para o Planalto,  como os inquéritos sob relatoria de Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal: o de fake news, um sobre organização criminosa dos atos antidemocráticos e outro da live com ataques às urnas eletrônicas feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A superintendência também investiga o filho do presidente Jair Renan, no âmbito de uma operação que apura desvios de recursos no Ministério da Saúde. Segundo a Folha, o incômodo do diretor-geral com o DF começou nos primeiros dez dias após ter nomeado Correia, quando o então ministro Ricardo Salles foi alvo de busca e apreensão.

A operação foi criticada pela cúpula, sob argumentos de supostas falhas na apuração e ausência de necessidade de divulgação das medidas judiciais cumpridas, o que é rotina na PF.

A direção da PF já vetou uma das nomeações escolhida por Correia, entre elas a do delegado Franco Perazzoni, responsável pela investigação de Salles. Ele iria assumir um cargo de chefia na superintendência, mas o processo foi encerrado.

Desde que assumiu a função de diretor-geral, Maiurino tem selecionado e retirado nomes que não são do seu agrado. A mais recente mudança é a primeira envolvendo uma nomeação que ele mesmo fez.

Informações: O povo

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.