Dr. Estevam esclarece atual situação “Ainda não matamos o hospital”

Em entrevista ao radialista Izaías Nicolau, na manhã desta terça-feira, dia 13, o médico e vereador Dr. Estevam Ponte Filho (Estevinho) esclareceu a atual situação do hospital Dr. Estevam Ponte, que está na iminência de encerrar suas atividades de atendimento à população sobralense e da zona Norte. Segundo o médico, a situação do hospital vem se agravando há cinco anos e a solução encontrada pelos diretores proprietários é de encerrar as atividades do hospital. Ele aponta a defasagem da tabela de procedimentos pagos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a chegada do Hospital Regional Norte (HRN), que ocupou o espaço de atuação do Hospital Dr. Estevam Ponte, regulando todos os encaminhamentos de partos normais e limpezas cirúrgicas para o HRN, além da inflação no setor da saúde para compra de insumos e equipamentos.

Durante a entrevista, Dr. Estevam Ponte Filho confirmou o interesse de instituições de saúde em comprar o hospital, mas por enquanto não tem nenhuma proposta efetivada, mas já foi estabelecido um valor para a venda para o equipamento. “A situação é muito massacrante há 16 anos a gente vem nessa luta, com otimismo, esperando que tudo melhore, esperando que o SUS aumente os valores pagos pelos procedimentos, mas são 12 anos sem acréscimos na tabela. Todas as despesas do hospital têm aumentado, como salários, os medicamentos usados no tratamento dos pacientes, despesas com fornecedores, e demais despesa, por isso a solução encontrada pela família, com muito pesar, é a de encerrar as atividades deste hospital que há 46 anos vem atendendo a população mais carente”, explica Dr. Estevam.

Sobre a atual situação de atendimento no hospital, Dr. Estevam Ponte Filho disse que os procedimentos realizados pelo SUS acontecem apenas durante o dia, já o atendimento de particulares e convênios é feito em área reservada. O serviço de obstetrícia está funcionando, mas também com muitas dificuldades e, por enquanto, está sendo mantido o atendimento psiquiátrico hospitalar, pois é o único em Sobral nesta especialidade. “Na área psiquiátrica estamos esperando o posicionamento da Prefeitura de Sobral, pois somos o único neste tipo de atendimento e eu não tenho certeza, mas pela a informação que me chegou, mas não sei se é verdade. A verdade é que a situação é de muita dificuldade ”, destaca o médico. Ressaltou ainda, as dívidas que o hospital tem para com os seus fornecedores e os profissionais médicos, mas que o compromisso da direção é honrar com este pagamentos, seja com a venda dos hospital ou parte dele.

Suplementar
Na ocasião, o médico lembrou que o objetivo do Governo Federal é fechar todos os hospitais do porte Dr. Estevam de Sobral. “Nos últimos anos, em todo país, já foram fechados 31 mil leitos. Para piorar a nossa situação, somos desfavorecidos pela própria Constituição do País. A nossa condição é de hospital suplementar, tendo prioridade aos recursos federais e estaduais os hospitais públicos, depois os filantrópicos e por último o que estão no porte do Dr. Estevam. Por isso não nos resta outra alternativa a não ser encerrar nossas atividades e deixar que o Governo assuma os atendimentos”, diz Dr. Estevam Ponte Filho.

Ele ressalta, ainda, que esta situação massacrante de recursos pagos pelo SUS e as dificuldades financeiras atingem, também, a Santa Casa de Misericórdia de Sobral que poderá, como o Dr. Hospital Estevam, fechar as portas. Participando por telefone do programa, a secretária da saúde de Sobral, Drª Mônica Lima, lamentou o fato apresentado pelo médico e acenou com uma remota possibilidade do hospital manter o seu funcionamento. “O prefeito Veveu e eu estivemos em reunião com o novo secretário da saúde do Estado, Dr. Carlile Lavor, e levamos a situação do Hospital e estamos aguardando o posicionamento do secretário, uma vez que temos o interesse de manter o Hospital Dr. Estevam como um equipamento de assistência do município”, ressalta Drª Mônica Lima.

Portas Fechadas

Ela explica, ainda, que a intenção do poder público não é fechar o hospital, mas as soluções para mantê-lo em funcionamento são muito difíceis. “Não é desejo do setor público que o Hospital Dr. Estevam feche, estamos tentando encontrar uma saída juntamente com a direção do hospital, em reunião periódicas com diretor o Disraeli Ponte, sem precisar vender o hospital ou fechá-lo. Mas não é uma coisa fácil, pois quando falamos de orçamento e recursos e financiamentos nós encontramos várias portas fechadas. É um assunto problemático, mas não estamos acomodados e estamos tentando resolver este problema”, finaliza a secretária Mônica Lima. 


Ao final da entrevista, o Dr. Estevam Ponte Filho falou da esperança que tem em não fechar o hospital. “Mesmo aumentando as nossas dívidas estamos funcionando precariamente, para que possa dar tempo à Prefeitura de encontrar uma solução de manter o hospital funcionando, principalmente a Psiquiatria, mas as forças do prefeito e da secretária são limitadas, pois a responsabilidade deles é com a atenção básica”, diz. 

Por Jonas Deison, com informações do Blog Encontro com a Saúde