Em carta, Adélio Bispo diz estar sendo perseguido pela maçonaria

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Adélio Bispo cita, na carta ao sobrinho, ‘investidas satânicas’ na penitenciária
  • De Minas Gerais, família não tem dinheiro para visitá-lo no Mato Grosso do Sul

Em carta à família, Adélio Bispo de Oliveira diz que é vítima do “satanismo maçom” no presídio onde cumpre pena desde que esfaqueou Jair Bolsonaro (PSL), então candidato à presidência, em setembro do ano passado.

A família, que não tinha contato com ele desde a prisão, acredita que a mensagem – diretamente enviada a um sobrinho chamado Madson – é um sinal de que Adélio segue atormentado pelo transtorno psiquiátrico que o levou a cometer o atentado em Juiz de Fora (MG).

A correspondência foi escrita no dia 6 de maio na penitenciária federal de Campo Grande (MS). As informações são do jornal Folha de São Paulo.

Federal Police agents escort Adelio Bispo de Oliveira, suspected of stabbing Brazilian presidential candidate Jair Bolsonaro, to transfer him to a federal prison in Campo Grande, Mato Grosso state, at Francisco Alvares de Assis airport in Juiz de Fora, Brazil, September 8, 2018. REUTERS/Ricardo Moraes TPX IMAGES OF THE DAY
Em carta à família, Adélio relatou ser vítima de perseguições ‘maçom’ dentro da prisão. (Foto: Reuters/Ricardo Moraes)

“Estão tentando me levar a loucura a qualquer custo, assim como já fizeram com varios que passaram por aqui. Ha uma conspiração bem montada para isso. Mas ainda estou firma apesar das investidas satânicas da maçonaria”, diz a carta.

Os parentes vivem em Montes Claros, no norte de Minas Gerais. Eles não têm dinheiro para visitá-lo em Campo Grande, e tentam se convencer de que a situação é o melhor para ele no momento. Na carta, ele também conta de seus planos de pedir transferência para uma penitenciária em Montes Claros:

“Estou tentando conseguir uma transferência para o presídio estadual de Montes Claros, via Defensoria Pública da União, já que não estou conseguindo fazer contato com meus advogados. Estou tentando sair daqui o quanto antes possível, pois este presídio aqui é um lugar de maldições, um presídio projetado pela maçonaria onde o satanismo maçom aqui é terrível”, conta.

A ARQUITETURA DA PRISÃO

O complexo penitenciário de Campo Grande tem 208 celas e foi inaugurado em 2006. A arquitetura do local não tem semelhanças aparentes com a de construções maçônicas: não há edificações com dimensões triangulares e nem colunas típicas da maçonaria.

Laudos de psiquiatras indicados pela defesa e pela acusação consideraram Adélio Bispo inimputável, ou seja, incapaz de responder por seus atos. Ele recebeu uma “absolvição imprópria” – recurso jurídico usado quando o réu é culpado, mas não consegue compreender o que fez.

Ele vai passar por uma nova avaliação em três anos, para conferir se o seu grau de periculosidade diminuiu. Por enquanto, não houve evolução: ele recusa tratamentos e segue insistindo que recebeu uma instrução divina para assassinar Bolsonaro.

Com Informações do Yahoo

Jonas Deison

Somos um portal de notícias focado na cidade de Sobral, Ceará. Prezamos sempre pela notícia verdadeira e sem conteúdo apelativo. Contato: (88) 99222-3363 | (88) 99632-4226 Administrador: Jonas Deison

Deixe uma resposta