“Eu não posso apoiar um candidato que nem fede, nem cheira”, Pessoa

A poucas semanas da oficialização das candidaturas para as eleições de outubro deste ano, o ex-prefeito de Maracanaú e possível nome do Partido da República (PR) para concorrer ao posto de Governador do Estado, disse em entrevista nesta terça-feira, 6, ao Programa Repórter Ceará, da Rádio Campo Maior, que seu partido tem total liberdade para conversar “tanto com Aécio como Eduardo Campos”. Segundo ele, porém, a aliança ainda não está definida. 

No dia 29 de março, o ex-prefeito se reuniu com o pré-candidato à presidência, Aécio Neves (PSDB), e foi convidado a disputar a sucessão de Cid Gomes (Pros) para formar palanque para o ex-senador mineiro no Estado. Na reunião, Pessoa havia aceitado a proposta na condição de o ex-governador Tasso Jereissati (PSDB) sair candidato ao Senado Federal.
Durante a entrevista à rádio, Pessoa foi enfático sobre o que pensa do senador e pré-candidato ao governo Eunício Oliveira (PMDB). “Eu não posso apoiar um candidato que nem fede, nem cheira”.
De acordo com o ex-prefeito, apesar do PMDB ter deixado os cargos do governo Cid, o discurso do senador ainda não é de oposição. “Eu vou esperar um pouquinho mais para sentir o discurso do senador […] O povo tem que examinar. Eu sei que eu sou oposição”.