Festival Choro Jazz | No tempo da delicadeza, pianista Cristóvao Bastos emocionou o público que lotou a praça de Jericoacoara nesta quarta-feira (4)

Talvez no tempo da delicadeza… O verso de Chico Buarque para sua parceria com o pianista carioca Cristóvao Bastos define perfeitamente a atmosfera de emoção, lirismo, beleza, encantamento produzida pelo show de Cristóvão na noite desta quarta-feira, em Jericoacoara, segundo dia de Festival Choro Jazz, que segue até domingo, com apoio da Petrobras e programação gratuita reunindo vários dos maiores mestres da música brasileira, na paradisíaca praia do litoral oeste cearense.

A sutileza de Cristóvão e de sua maneira de ver, ser e fazer música se deixaram perceber desde o início do show, pouco depois das 21h20, quando o mestre pianista, arranjador e compositor subiu ao palco na companhai de ninguém menos que Maurício Carrilho ao violão, Marcos Tadeu (pandeiro) e Aquiles (trompete e flugel). Juntos, eles convidaram o público, que até minutos antes lamentava a derrota do Ceará Sporting Club, transmitida na TV, para seguir adiante e mergulhar em outro estado de espírito.

“Não me digas não”, parceria de Cristóvão e Paulinho da Viola, foi capaz não só de consolar os corações destroçados pela ameaça de rebaixamento da equipe alvinegra, como de unificá-los aos aplausos dos tricolores e de torcedores de vários outros times do Brasil e do mundo, reunidos na internacional Jericoacoara, com seus tantos idiomas e sotaques. A universalidade da música como ferramenta para chegar ao coração não tardou a se mostrar nas teclas do piano de Cristóvão, que, sem desconhecer outras agruras do Brasil extra-campo, destacou o festival como “um ato de resistência cultural muito importante para os músicos e para todos”.

Cristóvão homenageou o mestre Radamés Gnatalli como dois temas interpretados de forma magistral: a mais cadenciada “Papo de anjo” e o choro “Remexendo”. Muitos e merecidos aplausos a tanta beleza, tanta sutileza! A energia de “Dando um nó”, de Cristóvão e Maurício, colegas de palco e de composição, atraíram gritos dos mais próximos ao palco, antes de a linda “Schumannita” enternecer a todos. Tocante, pungente, linda! “Uma pequena tentativa de homenagear Schumann”, explicou o mestre do piano e dos arranjos.

O choro “Sem palavras”, batizado pelo saxofonista Mauro Senise, seguiu no mesmo naipe de beelza harmônica e melódica, com “Choro pro Waldir”, outra parceria de Cristóvão e Paulinho da Viola, impressionando ainda mais a plateia. Teve ainda muito choro, que apesar de tudo também é tempo de alegria, e foram muitos os aplausos para o quarteto.

Não teve Adelson Viana, que tocou seu acordeom com Cristóvão no show da etapa Fortaleza do festival, no Dragão do Mar, quinta-feira passada. Mas a impressionante combinação de virtuosismo empregado em favor da música, com sensibilidade e emoção digna de alumbramento, fez do show de Cristóvão desde já um dos melhores do festival. E olhe que ainda estamos no segundo dia de shows e oficinas em Jericoacoara. A maratona musical segue até domingo. Viva a música brasileira!

Maratona musical em Jeri segue até domingo, 8/12

Na quarta-feira, 4/12, o mestre Cristóvão Bastos, pianista autor de clássicos como “Todo sentimento” e de novas e marcantes obras, como “Tua cantiga” (ambas em parceria com Chico Buarque) faz o primeiro show da noite, que conta com Jota P & Carol Panesi Quinteto, de São Paulo, como atração de encerramento. Com Jota P no saxofone e nas flautas e Carol Panesi ao violino, garantia de uma musicalidade rica e de timbres variados.

quinta-feira, 5/12, começa com o show de Jaques Morelembaum, mestre do violoncelo, que estará no Festival Choro Jazz com o projeto Cellosam3atrio, ao lado dos também virtuosos Lula Galvão (violão) e Rafael Barata (bateria). Jaques é conhecido por parcerias em palco e estúdio com nomes como Tom Jobim, Caetano Veloso e Sting, entre vários outros. Uma escola de choro, o grupo Época de Ouro faz o espetáculo de encerramento da noite. Fundado em 1964, por Jacob do Bandolim, o grupo seguiu atuante ao longo de décadas e segue realizando apresentações aplaudidíssimas, com Ronaldo do Bandolim como um dos destaques, sempre emocionando plateias de amantes da tradição musical brasileira.

sexta-feira, 6/12, tem Jericoacoara recebendo ele que é do mundo, é Minas Gerais: Toninho Horta. O internacionalmente aclamado guitarrista, compositor e arranjador chega para o Festival Choro Jazz com seu quinteto e com participação especial do jovem guitarrista brasiliense Pedro Martins. Os cariocas do Samba de Fato, com a participação de Sérgio Santos, Julião Rabello e Ana Rabello, fecham a noite com um show que promete ser memorável.

No sábado de festival, 7/12, hora e vez de o público aplaudir dois xarás que dialogam e se complementam em um encontro de extrema beleza para a música brasileira: o capixaba Zé Renato e o paulistano Renato Braz. Cantores e violonistas, sobem ao palco com sua musicalidade de esmero harmônico, poesia, sutileza, síntese, mas também intensidade. Imperdível! Assim como o show  do Filó Machado Sexteto, que destaca o grande compositor e violonista ao lado de um super grupo.

Encerrando o Festival Choro Jazz, o domingo, 8/12, tem o mestre Arismar do Espírito Santo se apresentando ao lado da Orquestra das Areias, com direito a muita improvisação, em clima de total liberdade criativa. Fechando a festa, o Forró do Zé Pitoco, com o grande percussionista mandando ver na zabumba e recebendo a filha, a aclamada cantora paulistana Luciana Alves, como convidada especial. É choro, é jazz, é forró, é festa!

 Mais sobre o festival

Ao longo de sua história, o Festival Choro Jazz já promoveu shows de artistas e grupos como Hermeto Pascoal, Arismar do Espírito Santo, Maurício Carrilho, além de destacar grandes nomes da música do Ceará, como Marcio Resende, Cainã Cavalcante, Jorge Cardoso, Michael Pipoquinha, Mimi Rocha, Grupo Murmurando, entre vários outros. O festival também mantém desde 2012 a Escola de Música Choro Jazz, para crianças de Jijoca de Jeriocoacoara e região, além de promover diversas oficinas e de integrar, também desde 2012, a Associação Europeia de Festivais de Música.

 SERVIÇO

X Festival Choro Jazz. De 3 a 8/12 em Jericoacoara, com rodas de samba e choro e shows na praça principal. Entrada franca em todas as apresentações, workshops e oficinas. Apoio: Petrobrás, através de seleção por chamada pública do programa Música em Movimento. Informações: www.chorojazz.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui