Gestantes podem receber vacina contra a Covid se estiverem enquadradas nos grupos prioritários


Gestantes brasileiras podem receber a vacina contra o novo coronavírus. A recomendação para que seja realizada a imunização em grávidas consta em uma Nota Técnica do Ministério da Saúde, publicada segunda-feira (15), e foi incorporada nesta quinta (18) ao Plano Estadual de Vacinação do Ceará.

O documento nacional orienta que tanto as grávidas com comorbidade quanto as que não as têm podem ser imunizadas. A escolha é de cada gestante, mas gestores e profissionais de saúde devem orientar as mulheres sobre a possibilidade de administração de vacinas para prevenção da Covid-19 nessa população.

No Ceará, as pessoas com comorbidades, segundo o Plano Estadual de Vacinação, devem ser imunizadas na 3ª fase do grupo prioritário. Atualmente, o Estado está ainda na 1ª fase da vacinação.  

O Ministério da Saúde orienta  que a vacina seja oferecida às gestantes sem comorbidades, após avaliação dos riscos e benefícios, principalmente em relação às atividades desenvolvidas pela mulher.

Já no Plano Estadual do Ceará consta apenas as gestantes com comorbidade, não sendo mencionada ainda a possibilidade para aquelas que não se enquadram nessa condição.

O documento da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) foi atualizado e traz, em sua 8ª versão, a recomendação expressa pelo Ministério da Saúde de que as gestantes que se enquadrarem nesses critérios devem ser vacinadas, conforme a ordem do calendário de vacinação dos grupos prioritários. Não é necessário apresentar o teste de gravidez para comprovar a gestação.

As comorbidades preexistente, descritas no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, são: 

  • Diabetes;
  • Hipertensão arterial crônica;
  • Obesidade (IMC<!30);
  • Doença cardiovascular;
  • Asma brônquica;
  • Imunossuprimidas;
  • Transplantadas;
  • Doenças renais crônicas e;
  • Doenças autoimunes

Deixe uma resposta