Grupo criminoso faz reféns e ataca agência bancária em Cametá, no Pará

Após a série de crimes registrada em Criciúma (SC), um grupo criminoso atacou uma agência bancária de Cametá, no Pará. O município fica a 235 km da capital Belém, e a população viveu cenas de terror na madrugada desta quarta-feira (2). De acordo com o prefeito Waldoli Valente (PSC), um jovem morreu devido aos ataques. Com informações do portal G1.

Com os vídeos que circulam na internet, muitas pessoas tem comparado as características da ação no Pará com o que aconteceu no município catarinense na madrugada da última terça-feira (1º). Ainda não há informações se os suspeitos conseguiram levar dinheiro do local atacado.

O grupo criminoso fez reféns que foram capturados em bares da cidade, com o objetivo de transitar pelas ruas de Cametá. Os criminosos atiraram para cima diversas vezes, e — aparentemente — com armas de alto calibre.

Os criminosos ainda atacaram um quartel da Polícia Militar do município, com o objetivo de atrapalhar o trabalho dos policiais, bem como aconteceu em Criciúma, onde os suspeitos incendiaram um túnel.

Ainda não há confirmação de pessoas mortas ou feridas, mas as informações iniciais apontam que os criminosos deixaram o município por volta de 1h30m desta quarta-feira. De acordo com a polícia, os criminosos fugiram utilizando carros e barcos – Cametá fica às margens do Rio Tocantins.

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), usou a conta oficial no Twitter para se pronunciar sobre o caso. Na mesma rede social, termos como “Cametá”, “Pará” e “Ontem Criciúma” estão entre os mais comentados.

Já a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Pará (Segup) declarou que desde o momento que foi confirmado sobre o assalto a uma agência bancária no município de Cametá, equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), do Batalhão de Ações de Cães (Bac), da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE) e duas aeronaves do Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Pará (Graesp) se deslocaram para dar apoio no município.

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta