Grupo de Luizianne não cogita mais apoiar Eunício para o Governo

Apesar de ter sinalizado aproximação com Eunício Oliveira (PMDB), corrente da ex-prefeita Luizianne Lins no PT “sequer cogita” mais apoiar o peemedebista na disputa deste ano. Segundo petistas próximos à ex-gestora, o apoio ao senador ficou inviável após ele fechar aliança com partidos contrários à reeleição de Dilma Rousseff (PT). O grupo da ex-prefeita, no entanto, ainda se reunirá para definir como atuará na campanha de Camilo Santana (PT).

“Isso aí (apoio a Eunício) está fora de questão. Eunício está em outra coligação e não sabemos como ele fica com relação à reeleição da Dilma. Ele vem dizendo que está com ela, mas não sabemos se isso vai conseguir se manter ao longo da campanha. Também existe uma deliberação do PT, que temos que respeitar”, diz Waldemir Catanho, articulador político da gestão Luizianne Lins e braço direito da petista.
No mês passado, a ex-prefeita disse que não apoiaria candidato indicado por Cid Gomes (Pros) ao governo, mesmo que o nome fosse do PT. Na ocasião, ela sinalizou ainda apoio a Eunício. Catanho – que é 1º suplente de Eunício no Senado e que assumiria no caso de vitória do peemedebista -, no entanto, minimiza agora a tese.
“Nós não vamos fazer nada contra a campanha do Camilo. A forma como nós vamos participar da campanha, isso ainda vamos amadurecer (…) imagino que ele queira sentar com a gente, e após isso vamos ver como as coisas vão se concretizar”, diz, negando que sua condição de suplente de Eunício tenha qualquer peso no processo eleitoral deste ano.