Haddad quer regulação econômica dos veículos de comunicação

Candidato do PT à Presidência também comentou sobre proposta de nova Constituinte que está no plano de governo petista

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, defendeu algumas reformas prioritárias para o Brasil, entre elas a regulação econômica dos veículos de comunicação para evitar a concentração de propriedade.

Comentando a proposta, ele afirmou que a ideia é seguir o modelo norte-americano, que, segundo ele, “impede a concentração de todas as mídias, rádio, TV e impresso, com uma só família.”

A declaração foi dada em um ato com sindicalistas em Curitiba, após o presidenciável se encontrar com ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso na Polícia Federal desde o dia 7 de abril.

 

Ainda aos trabalhadores, Haddad criticou as propostas do seu principal adversário na disputa, Jair Bolsonaro (PSL). “Se a gente acha o governo (Michel) Temer ruim não sabe o que é o Paulo Guedes (possível ministro de Bolsonaro) na condução da economia. O governo Temer é coisa de criança perto da cabeça do Paulo Guedes”, criticou.

Comentando a proposta de nova Constituinte, levantada durante debate de domingo, 30, na Record TV, o petista afirmou que ela só será necessária se o “Congresso assim entender”.

“A preocupação é de que o Congresso tenha uma agenda de reformas constitucionais importantes e que escolha o caminho mais adequado para fazê-las. … Tem uma agenda ampla e gostaríamos que o Congresso criasse um rito para aprovar essas medidas que dê segurança jurídica e crie um ambiente de negócios favorável a retomada do crescimento.”

Deixe uma resposta