Homem negro é espancado até a morte em supermercado do Carrefour em Porto Alegre

Um homem negro de 40 anos identificado como João Alberto Silveira Freitas foi espancado e morto por dois homens brancos em um supermercado do grupo Carrefour de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. O caso ocorreu na noite dessa quinta-feira, 19, e o assunto esteve entre os mais comentados do Twitter na manhã desta sexta-feira, 20, que marca o Dia da Consciência Negra.

De acordo com o portal G1, os dois suspeitos têm 24 e 30 anos e foram presos em flagrante. Um deles é policial militar e foi levado para um presídio militar. O outro é segurança da loja e está em um prédio da Polícia Civil. A investigação trata o crime como homicídio qualificado.

A Polícia Militar no Rio Grande do Sul apurou que o espancamento começou após um desentendimento entre a vítima e uma funcionária do supermercado, que fica na Zona Norte da capital gaúcha. A vítima teria ameaçado bater na funcionária, que chamou a segurança.

Em nota, o Carrefour informou que lamenta profundamente o caso, que iniciou rigorosa apuração interna e tomou providências para que os responsáveis sejam punidos legalmente. A rede também chamou o ato de criminoso e anunciou o rompimento do contrato com a empresa de segurança.

“O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário”, diz a rede.

Também em nota, a Brigada Militar informou que o PM é “temporário” e estava fora do horário de trabalho. Segundo o comunicado, as atribuições dele são limitadas à “execução de serviços internos, atividades administrativas e videomonitoramento” e “guarda externa de estabelecimentos penais e de prédios públicos”. Não ficou claro o que ele fazia no mercado.

Espancamento na área externa

Segundo a Polícia Civil, João Alberto Freitas foi levado da área de caixas eletrônicos para a entrada da loja e teria iniciado a briga após dar um soco no PM (Confira vídeo abaixo). Na sequência, Freitas começou a ser espancado. A Polícia vai analisar as imagens que mostram as agressões e circulam nas redes sociais, além de câmeras de segurança do local.

- Advertisement -

Deixe uma resposta