Hospital Leonardo da Vinci é comprado pelo Estado

Com meta de 5 mil cirurgias até o primeiro trimestre de 2021, o Hospital Leonardo da Vinci será comprado pelo Governo do Estado, tornando-se público de forma permanente. O governador Camilo Santana (PT) anunciou em live no começo da tarde de ontem, 26, a assinatura de decreto para desapropriar a unidade, que tem capacidade de funcionamento de até 230 leitos. O equipamento privado foi arrendado pelo Estado em março para atuar como referência de tratamento de casos de Covid-19.O equipamento irá contribuir para zerar a fila de espera por cirurgias eletivas no Ceará em até seis meses, conforme Camilo.

Do total, 34 leitos permanecem exclusivos para atendimento à Covid-19, sendo 24 de enfermaria e 10 de Unidades de Terapia Intensiva (UTI). A unidade tem capacidade para reativar os 150 leitos, dependendo da demanda. “Era um hospital particular que estava fechado. Naquele momento, o Estado requisitou, fez um contrato com o dono e passou a atender exclusivamente pacientes com Covid-19 não só de Fortaleza mas de todo o Interior, onde houve necessidade de trazer, principalmente da Região Metropolitana”, disse o governador. “Foi um hospital que salvou muitas vidas e deu uma retaguarda importante”, avaliou.

Com a redução da demanda de Covid-19, o número de leitos destinados à patologia foi reduzido e, desde o mês de outubro, o hospital passou a realizar cirurgias eletivas. Já foram realizadas 2.424 consultas ambulatoriais pré-cirúrgicas e 680 cirurgias. Por mês, conforme a Sesa, a expectativa é que ocorram cerca de 800 procedimentos nas áreas de ortopedia, otorrinonaringologia, urologia e cirurgia geral. Para esses novos serviços, o hospital vai contar com 195 leitos, entre enfermarias e UTIs, e também com nove salas de cirurgias.

Desde o início da cessão ao Governo, quase 2,8 mil pessoas foram internadas com Covid-19. A unidade chegou a contar com 216 leitos, sendo 150 de UTI, com 813 profissionais de diferentes áreas atuando multidisciplinarmente. O secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o dr. Cabeto, destacou que os investimentos com foco na ampliação de atendimento para a demanda da pandemia está sendo aproveitada. “Temos 20 cidades do Interior onde o Estado aportou recursos para ampliar o atendimento de terapia intensiva, que estão mantidos, e, agora, o Hospital Leonardo da Vinci, que tem como meta a realização de 5 mil cirurgias até o primeiro trimestre do ano que vem”, promete.

O secretário destacou ainda que o Estado requisitou à Comissão Nacional de Residência Médica o aumento em 500 va-gas de residência. “Isso mostra que estamos preocupados com a qualificação das pessoas, com a qualidade do atendimentoalém de expandir a capacidade do atendimento”, acrescentou.

“Muitas vezes, quando a gente quer construir algo novo no Poder Público, em virtude de toda a legislação, da iniciativa até entregar leva um bom tempo para licitar, construir, equipar, contratar as pessoas e fazer o hospital funcionar. Nesse caso, o governador e o secretário Cabeto pegaram um hospital privado que não tinha sido aberto ainda, completamente equipado, moderno, com instalações de primeiro mundo para rodar na pandemia e, agora, para se integrar à rede pública”, disse o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT).

Na transmissão, o governador informou ainda que o decreto de isolamento social no Ceará será publicado antecipadamente hoje. Isso devido à circulação de notícias falsas sobre lockdown no Estado a partir da próxima segunda-feira, 30, após segundo turno das eleições.

Fonte: OPovo

Deixe uma resposta