Lindemberg é condenado a 98 anos por morte de Eloá

Júri condena Lindemberg por 
morte de Eloá e outros crimes (Editoria de Arte/G1)Após quatro dias de julgamento, Lindemberg Alves Fernandes, acusado de matar a ex-namorada Eloá Pimentel, em outubro de 2008, após mantê-la refém por mais de 100 horas, em Santo André, foi condenado a 98 anos e 10 meses de prisão em regime inicialmente fechado. Além disso, ele terá de pagar 1.320 dias-multa. Se não houver o pagamento, a pena total será de 102 anos, cinco meses e 25 dias de prisão.

A decisão foi tomada por um júri formado por seis homens e uma mulher que consideraram o réu culpado pelos 12 crimes pelos quais foi julgado. Por volta das 19h40 desta quinta-feira, a juíza Milena Dias proferiu a sentença.

Lindemberg foi condenado por homicídio qualificado por motivo torpe pela morte de Eloá, duas tentativas de homicídio (contra Nayara Rodrigues e o sargento Atos Valeriano), cinco ocorrências de cárcere privado (contra Eloá, Vitor Lopes, Iago Oliveira e duas vezes contra Nayara) e quatro disparos de arma de fogo. O réu não poderá recorrer em liberdade.

“Além de eliminar a vida de uma jovem de 15 anos e quase matar Nayara e o bravo policial Atos Valeriano, causou enorme transtorno para a sociedade e para o Estado”, disse a juíza, que ressaltou a frieza, orgulho e egoísmo do réu, além da premeditação do crime.

Em coletiva de imprensa, a mãe de Eloá, Ana Cristina Pimentel, agradeceu à população, à juíza, à promotora, aos advogados da família Pimentel e da Nayara, aos assistentes de acusação e a Deus. “Nada vai diminuir a minha dor, mas a justiça vai ser feita.”

A mãe de Nayara também se pronunciou. “Não sou eu que tenho que perdoa-lo, É Deus.”