Na crise, cidades mais ricas do Ceará fazem reformas administrativas

Em meio à crise sanitária e econômica provocada pela pandemia da Covid-19, ajustes na organização pública estão sendo elaborados para tentar aumentar o equilíbrio financeiro e aproximar serviços públicos da população nas cinco cidades mais ricas do Estado.

Em Fortaleza, Maracanaú, Caucaia e Sobral, gestores planejam reformas administrativas, que devem impactar secretarias, órgãos e funcionários – em alguns casos com extinção de pastas, em outros, com aumento, inclusive, para contemplar bases ideológicas.

Em Juazeiro do Norte, não há previsão de mudanças na estrutura de governo, mas a contenção de despesas com pessoal está no radar da gestão.Comuns em início de mandato, os ajustes são diferentes em cada cidade.

Nos municípios em que os ex-prefeitos conseguiram emplacar um sucessor ou alcançar a reeleição, a previsão é de fusão e aumento de pastas para otimizar custos da administração.

Já nos municípios em que a oposição foi eleita, são consideradas reestruturações que buscam enxugar a máquina pública. É o que justificam as gestões.

O tamanho das mudanças em cada cidade só ficará claro quando os projetos de reformas administrativas forem enviados às câmaras municipais, o que deve ocorrer em quatro dos cinco municípios – a exceção é Juazeiro, que planeja cortar gastos com cargos comissionados, o que não necessita do aval dos vereadores.

Já onde serão criadas novas pastas, as reformas podem implicar em remanejamento de recursos e aberturas de crédito especial – caso as novas secretarias não sejam vinculadas a alguma já existente, para aproveitar orçamento e mão de obra.

Apesar das justificativas econômicas, as medidas também buscam contemplar aliados nas gestões. Sarto, no entanto, ainda não informou quais ajustes devem ser feitos na reforma administrativa, exceto a transformação da Coordenadoria da Primeira Infância em secretaria. Além disso, há outros órgãos que ainda estão com cargos vagos e podem ser alvos de modificações.

O prefeito tem divulgado nomes para o segundo escalão do Governo, e ontem começou a implantar umas das mudanças na Capital: definiu os titulares das 12 secretarias regionais, que devem ser implementadas até o meio deste ano.

Fonte | Diário do nordeste

Deixe uma resposta