Órgão Especial do TJ afasta juiz que constrangeu mulheres vítimas de violência sexual

O juiz Francisco José Mazza Siqueira foi afastado de suas funções por 90 dias, de forma cautelar, após constranger mulheres vítimas de violência sexual durante audiência em Juazeiro do Norte. A decisão é do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) após juízes da Corregedoria irem a Juazeiro para apurar os fatos. Todos os desembargadores seguiram o voto da juíza relatora em favor do afastamento.

“Não é só conveniência, mas é necessário esse afastamento”, destacou o presidente do Tribunal de Justiça, Abelardo Benevides Moraes.

Ele parabenizou o trabalho feito pela Corregedoria desde as primeiras horas após as representações legais contra o juiz Francisco José Mazza Siqueira.

O caso aconteceu no dia 26 de julho em audiência onde as mulheres denunciavam um médico. Os comentários do juiz sobre as mulheres foram gravados em vídeo na audiência.

“Tinha aluna que chegava se esfregando em mim, a vagina em mim. Aqui não é criança, todo mundo é adulto”, comentou, dando exemplo de situações que teria vivido.

Em outro momento, o juiz comenta sobre as mulheres, estudantes, que fizeram seleção de estágio. “Quem acha que mulher é tudo boazinha, tão muito enganado, viu. São tudo bicho de mão pesada, bicho da língua grande e chuta nas partes baixas, são as mulheres”, disse o juiz.

Conforme o advogado das mulheres, Aécio Mota, participavam da audiência, além do juiz, as testemunhas do médico acusado e das vítimas, todas mulheres, que permaneceram caladas, o médico e os advogados do médico e das vítimas.

“Todas as testemunhas eram mulheres, nove mulheres estavam presentes na sala de audiência e tiveram que ouvir isso”, informou.

Fonte: O Povo

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.