Petrobras tem lucro de R$ 25,7 bilhões em 2018, após quatro anos de prejuízo

A Petrobras teve lucro líquido de R$ 25,779 bilhões em 2018. Foi o primeiro resultado positivo da companhia depois de quatro anos seguidos de perdas e o melhor resultado desde 2011.

O resultado do ano passado, segundo a companhia, foi influenciado pela melhora do lucro operacional e do resultado financeiro, com a redução das despesas com juros originados pela diminuição do endividamento. A empresa também teve crescimento das receitas financeiras devido aos ganhos com a renegociação de dívidas do setor elétrico.

Entre os destaques do resultado do ano estão:

  • Aumento de 31% nos preços do barril tipo Brent
  • Desvalorização do real frente ao dólar
  • Redução de R$ 1,1 bilhão dos juros pagos com o declínio do endividamento
  • E regularização de créditos de R$ 5,3 bilhões com a Eletrobras

“A performance da Petrobras no ano que passou foi indiscutivelmente a melhor em muitos anos, o que inclui a obtenção de alguns recordes históricos (…) e da interrupção de quatro anos seguidos de prejuízos”, disse o presidente da estatal, Roberto Castelo Branco.

O lucro operacional foi de de R$ 62,957 bilhões em 2018, alta de 77% na comparação com o ano anterior. As receitas somaram R$ 349,8 bilhões, uma alta de 23% sobre 2017.

Nos últimos anos, os resultados da companhia foram influenciados por perdas originadas com a Operação Lava Jato. Em 2017, por exemplo, a Petrobras teve prejuízo de R$ 446 milhões. À época, o desempenho da empresa foi afetado pelo acordo fechado pela companhia para encerrar processos judiciais movidos por investidores nos Estados Unidos e pela adesão a programas de regularização fiscal, que custaram juntos cerca de R$ 21,6 bilhões.

Dívida e investimento em queda

No ano passado, a dívida bruta foi de R$ 326,876 bilhões, uma queda de 10% na comparação com 2017 (R$ 361,483 bilhões).

A companhia reduziu de forma mais intensa a sua dívida de curto de prazo. A queda foi de 38%, de R$ 23,244 bilhões para R$ 14,296 bilhões. A dívida de longo prazo foi reduzida em 8%, de R$ 338,239 bilhões para R$ 312,580 bilhões.

O investimento também apresentou leve recuo no período de 2,8%, passando de R$ 42,4 bilhões para 41,2 bilhões.

Produção e vendas

Na comparação com 2017, a produção de petróleo, gás natural liquefeito e gás natural teve queda de 5%, para 2,628 milhões de barris de óleo equivalente por dia, por conta dos desinvestimentos nos campos de Lapa e Roncador, entre outros.

A Petrobras também divulgou o crescimento de 13% nas vendas de diesel, e uma queda nas vendas de gasolina, por conta da perda de competitividade em relação ao etanol.

Quarto trimestre

No quarto trimestre, o lucro líquido foi de de R$ 2,1 bilhões, uma queda de 68% na comparação com os três meses anteriores.

O resultado refletiu a redução do preço do petróleo tipo Brent no período, a queda das margens nas vendas de derivados e a ocorrência de itens especiais, que totalizaram R$ 6,3 bilhões, tais como acordo com ANP relacionado ao Parque das Baleias e perdas com contingências.

Acionistas

A companhia também informou que a remuneração total aos acionistas será de R$ 7,1 bilhões, sendo R$ 0,2535 por ação ordinária e R$ 0,9225 por ação preferencial.

Deixe uma resposta