Polícia Civil incinera mais de 1,2 tonelada de drogas apreendidas em 4 anos no Ceará

Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) incinerou, na manhã desta quinta-feira, 30, um total de 1.224.963,2 quilos de drogas que foram apreendidas em todo o Ceará, entre os anos de 2016 e 2020. A queima do material ocorreu em uma fábrica de cerâmica, no distrito de Telha, em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza. A ação foi conduzida pela Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) e foi acompanhada por agentes da Polícia Civil, da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A maior parte do material, um total de 988.024 quilos, é composto por maconha, mas outras drogas como crack, cocaína, LSD, haxixe e psicotrópicos também integram a carga incinerada. As drogas são de apreensões referentes a 532 processos em 17 municípios do Ceará: Ararendá, Barreira, Boa Viagem, Cascavel, Caucaia, Crateús, Fortaleza, Ipueiras, Itaitinga, Madalena, Maracanaú, Maranguape, Mombaça, Pindoretama, Redenção, Tabuleiro do Norte e Tianguá.

A droga veio em um caminhão baú lacrado até a cerâmica de Aquiraz. De acordo com o titular da DCTD, Pedro Viana, a queima dos entorpecentes está inserido dentro de uma das três etapas do ciclo de combate ao tráfico de drogas. Uma das etapas é a prevenção, que, segundo ele, é realizada pela unidade especializada da Polícia Civil da Divisão de Proteção ao Estudante. Profissionais dessa unidade ministram palestras e eventos em escolas públicas, privadas, faculdades e universidades com o objetivo de levar a conscientização a crianças, adolescentes e jovens adultos sobre o mal que a droga traz.

“Outra etapa muito importante é a repressão do crime em si, em que todas as delegacias do Estado, sejam elas distritais, municipais ou regionais, trabalham na questão da repressão ao crime”, informa. E, fechando o ciclo de combates, temos a incineração. “Essa droga poderia estar na rua, gerando homicídios e uma infinidade de outros crimes. E vemos de fato essa droga sendo destruída”, aponta.Polícia Civil incinera 1,2 tonelada de drogas apreendidas no Ceará.  (foto:Fabio Lima/O POVO) (Foto: Foto:Fabio Lima/O POVO)

A operação contou com a participação de processos de cerca de 15 comarcas de todo o Estado e a droga foi incinerada com o uso de 12 fornos de uma cerâmica de Aquiraz. Por conta da pandemia do novo coronavírus, a incineração é a primeira deste ano. Estava planejada uma ação para março e outra para abril, mas não foi efetivada. Segundo o delegado, ano passado, foram realizadas três incinerações. Este ano, a previsão da DCTD é que outras duas queimas de drogas aconteçam na Região Metropolitana.

A importância da presença do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCR), de acordo com o promotor Davi Oliveira, é para garantir que não haja desvios desde a saída da delegacia até a chegada na fábrica de cerâmicas. “São processos do Estado inteiro, a maioria, de Fortaleza e alguns desses processo tem grandes quantidades de drogas apreendidas. Cerca de 100 quilos, dependendo da operação”, diz.

A queima dos entorpecentes foi de 29,011 quilos de crack, 124,77 quilos de cocaína, 2.757 psicotrópicos, 1.001 comprimidos de LSD, 331,95 quilos de haxixe e 84 quilos de um pó branco, para fazer o desdobro da cocaína. (Informações O Povo)

- Advertisement -

Deixe uma resposta