Presidente do STJ nega prorrogação de saída temporária para presos de SP

O presidente do STJ, Humberto Martins, negou um pedido da Defensoria Pública de São Paulo para prorrogar, ao menos até 24 de fevereiro, a saída temporária concedida no fim do ano a condenados no regime semiaberto.

Entre o fim de dezembro e o início deste mês, eles puderam passar 15 dias com a família, sem necessidade de passar a noite na prisão.

O ministro entendeu que o pedido de prorrogação, com fundamentação genérica para todos os condenados e sem observância do prazo máximo do benefício e do prazo mínimo de intervalo em relação à saída já autorizada, contraria a jurisprudência do STJ.

Quanto ao período de saída temporária não usufruído em 2020 pelos presos, o ministro entende que a questão deve ser tratada pelo juízo de execução penal, ouvindo advogados, Defensoria Pública, Ministério Público e Administração Penitenciária.

“A fruição das saídas temporárias ainda pendentes deve ocorrer nos moldes ainda a serem decididos pela autoridade competente, no momento adequado, diante da realidade sanitária da região em que está o estabelecimento prisional”, destacou Humberto Martins.

A liminar foi negada e o mérito do habeas corpus será analisado pela Sexta Turma, sob relatoria do ministro Nefi Cordeiro.

Fonte | STB NEWS

Deixe uma resposta