Próximo trimestre tem 40% de chance de chuvas acima da média no Ceará

A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) divulgou na manhã desta quinta-feira, 20, a previsão para as chuvas nos meses de fevereiro, março e abril no Ceará. Os dados divulgados apontam para um cenário positivo, com chuvas acima da média no Estado. Os estudos feitos em parceria com institutos internacionais apontam 40% de chance para precipitações acima da média histórica; 40% para chuvas dentro da normalidade no período e 20% abaixo da média.

De acordo com o Presidente da Funceme, Eduardo Sávio Martins, as quantidades de chuvas podem variar dependendo da região do Estado. “É natural que mesmo em um ano com essas probabilidades (positivas) apareçam algumas áreas com chuvas abaixo da média. É ficar atento ao monitoramento. Nosso prognóstico é de baixo-curto prazo”, explica Martins.

No evento de divulgação, além do prognóstico para o próximo trimestre, foram apresentados os dados atuais do mês de janeiro, até o dia 18. Também com números positivos. “Temos que considerar que ainda faltam 13 dias para a finalização (do mês) e já tem áreas na categoria acima da média. Ibiapaba, litoral de Fortaleza, litoral do Pecém e maciço do Baturité já estão acima”, afirma Eduardo Sávio Martins.

A irregularidade espacial das chuvas é uma das dúvidas levantadas pelos técnicos da Funceme para o período. Segundo a pesquisadora Meiry Sakamoto, no prognóstico divulgado não é possível indicar as regiões do Estado que receberão maior quantidade de chuvas. “As informações desse ano não são suficientes para dar um indicativo. O que a gente pode dizer é que os modelos indicam uma grande irregularidade espacial na distribuição nesses três meses”, explica Meiry.

O secretário de recursos hídricos Francisco José Coelho Teixeira explica as diferenças que podem acontecer nos períodos de chuva. Para ele, existem dois tipos de períodos chuvosos: O que enche açude e o que é bom para a agricultura. “Quando temos uma distribuição espacial bem definida ao longo dos quatro meses da quadra chuvosa, dificilmente se enche um açude, mas é bom para a agricultura. Já a concentração é muito importante para o preenchimento dos reservatórios”, disse o secretário.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.