Quem são os “Irmãos Coragem”, grupo criminoso que atua em Sobral desde os anos 2000

Um dos chefes do grupo foi morto em intervenção policial na Bahia nessa quinta-feira, 18

Um grupo criminoso, originado de um núcleo familiar, já atua há anos em Sobral (Região Norte do Estado) e municípios vizinhos praticando, conforme as forças de segurança, crimes como tráfico de drogas, roubo a instituições financeiras e inúmeros homicídios. A atuação dos “Irmãos Coragem” voltou à tona com a morte de um de seus integrantes, Evaldo Batista Ferreira, o “Evaldo Coragem”, morto em intervenção policial na Bahia nessa quinta-feira, 18.

Irmãos de Evaldo também fariam parte do bando, a exemplo de Marcos Batista Ferreira Mendes, o “Marquim Coragem”, e José Eraldo Mesquita do Nascimento, o “Eraldo Coragem”. Todos os três já estiveram na lista de Mais Procurados do Ceará elaborada pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Ainda haveria outros irmãos atuantes no grupo. É o caso, por exemplo, de Erandir Batista Ferreira, conhecido como “Careca”, assassinado em 2016 e considerado chefe do grupo à época. Também já foram apontados como integrantes da quadrilha Daniel Batista Ferreira e Danilo Batista Ferreira.

A operação “Covardes”, deflagrada em 2019, afirmava que o grupo era composto por seis irmãos e seus respectivos filhos, sobrinhos e primos.

“A FAMÍLIA CORAGEM hoje é filiada ao PCC (Primeiro Comando da Capital), agindo através principalmente do tráfico de drogas ilícitas, mas também sendo responsável por roubos, furtos a residências e sítios, furto de animais de criação (gado, caprinos, ovinos), receptação de bens roubados e furtados, aumentando consideravelmente o patrimônio pessoal nos últimos anos, com aquisição de casas, fazendas, carros de luxo e motos, bens que, em geral, ficam registrados em nome de terceiros (laranjas)”, dizia a investigação.

Em seu depoimento na operação, Marcos afirmou que a família era composta por dez irmãos, filhos do mesmo pai e da mesma mãe. Ele disse que quem cunhou o termo “Irmãos Coragem” foi Erandir, sendo que o nome remetia a uma equipe de vaquejada da qual os irmãos fariam parte. Marcos negou envolvimento da família com o crime.

Evaldo, por sua vez, afirmou que o nome fazia referência à novela “Irmãos Coragem”, exibida pela TV Globo em 1970 e, em um remake, em 1995. Também ele afirmou que a família não tinha envolvimento com a criminalidade.

Irmãos Coragem na época de Erandir

Investigações da Polícia Civil do Ceará (PC-CE) e do Ministério Público Estadual (MPCE), ao longo dos anos, apontaram o contrário. Em 2015, quando Erandir foi preso, a SSPDS informou que os “Irmãos Coragem” tinham entre 20 e 30 integrantes, que atuavam no tráfico, no roubo a fazendas e a instituições financeiras.

Conforme divulgado pela pasta, Erandir era proprietário de três fazendas “usadas para a lavagem do dinheiro dos roubos e do tráfico de entorpecentes”.

Consulta aos arquivos do Tribunal de Justiça do Estado (TJCE) mostra que, em outubro de 2006, Marcos e Erandir foram denunciados pelo MPCE, ao lado de outras sete pessoas, acusadas de receberem um carregamento de cerca de 230 kg de maconha oriundo de Cabrobró (PE) e que seria distribuído entre traficantes de Sobral.

Um ano antes, em 2005, os dois haviam sido acusados de um latrocínio que vitimou Antônio Carlos Fernandes de Sousa, vigilante que trabalhava em uma fábrica localizada na BR-222, também em Sobral.

Os irmãos disseram que, no dia do crime, estavam no velório do avô deles e foram absolvidos.

Em 2011, a morte de Kelson Araujo da Silva, conhecido como “Ponga”, foi atribuída à “Família dos Irmãos Coragem”. Conforme denúncia do MPCE, a vítima teria roubado uma bicicleta no bairro Sumaré, em Sobral, onde atuava o grupo criminoso.

Como a prática de crimes dessa natureza era proibida pelos “Irmãos Coragem”, Kelson foi executado. O homem acusado pelo crime, João Iranildo Tomaz da Silva, que integraria a organização, entretanto, foi absolvido pelo Tribunal do Júri.

Erandir foi morto em 19 de abril de 2016 no Centro de Coreaú, a 52 km de Sobral. Ele foi executado com, aproximadamente, 30 tiros. Duas pessoas foram denunciadas pelo crime, sendo um deles, Alexandre Ximenes de Carvalho, o “Pica-Pau”. Em 2019, ele seria apontado pela Polícia Civil como um dos chefes do Comando Vermelho (CV) em Sobral.

Em 2016, porém, a investigação apontou que a morte de Erandir seria consequência da “disputa de tráfico de drogas e desavenças familiares destes e da vítima”. Erandir era apontado como um dos autores da morte de um sobrinho de Alexandre, identificado como Jhonatan Ximenes.

Irmãos Coragem na época do PCC

Antes do advento das facções no Ceará, os principais inimigos dos “Irmãos Coragem” era uma quadrilha nomeada de “Irmãos Metralha”, também atuante em Sobral. Entretanto, em meados de 2015, as facções passaram a fazer “batismos” em massa no Estado e o grupo passou a compor o PCC. Seus principais rivais, então, passaram a ser a facção Comando Vermelho (CV).

Em 2019, investigação da Delegacia Regional de Sobral mostrou que a cidade estava dividida entre quatro facções, sendo que o PCC, de cujo núcleo eram os “Irmãos Coragem”, tinha presença mais forte nos bairros Sumaré e Padre Palhano. A Delegacia chegou a reproduzir como funcionava esse domínio em mapa:

 

Os “Irmãos Coragem” prosseguiram matando para garantir o domínio de seus territórios, conforme a Polícia Civil. Em 10 de janeiro de 2019, Evaldo Coragem teria ordenado a morte de Ítalo Anderson Silva Aragão no bairro Alto Cristo, em Sobral.

De acordo com o MPCE, Ítalo estudava para tentar o ingresso na carreira policial e sempre colaborava com as forças de segurança, “causando transtornos ao domínio territorial da organização criminosa no bairro”. Evaldo foi condenado a 19 anos e três meses de prisão por esse crime.

Em 2022, Evaldo e Marcos foram impronunciados da acusação de mandarem matar Antônio Ari Paula de Freitas em 22 de abril de 2020, no Padre Palhano. O crime foi motivado, apontava o MPCE, por um suposto estupro que a vítima teria praticado.

O grupo ainda foi acusado de vários outros crimes. Marcos foi apontado como um dos partícipes de um roubo a banco ocorrido em Guaraciaba do Norte, na Serra de Ibiapaba, em 2018. Já Daniel foi indiciado em 2017 por redução a condição análoga à de escravo de funcionários que trabalhavam em sua fazenda.

A operação “Covardes” ainda identificou que havia algumas rusgas entre Evaldo e Daniel por ocasiões registradas em 2018 e 2019. Inclusive, há a suspeita de que um triplo homicídio registrado em março de 2019 em Sobral teria relação com a rivalidade.

“Mas as frentes (Evaldo e Daniel) sempre se unem quando o objetivo (criminoso) é maior, como nos assaltos a agências bancárias, e também por laços afetivos.”

Marcos e Evaldo foram absolvidos no processo referente à operação “Covardes”. Atualmente, transcorre o processo de nº 0280694-58.2022.8.06.0001 em que Marcos e outros acusados de integrarem os “Irmãos Coragem” são réus. A ação penal aguarda julgamento.

Marcos atualmente está em liberdade, enquanto José Eraldo está preso, conforme informado em entrevista coletiva convocada pela SSPDS nessa quinta-feira, 18. O POVO não conseguiu apurar na noite dessa quinta se os demais citados como integrantes dos “Irmãos Coragem” estavam presos ou não.

Fonte: O Povo Online

1 comentário
  1. форум кто сейчас болеет в москве пермиксон 160 купить в
    москве цена в аптеках москвы
    улица тухачевского москва фото сколько стоит билет с москвы до пятигорска на поезде

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.