Seis cidades cearenses apontam crise com falta de oxigênio para pacientes com Covid

As cidades cearenses de Coreaú, Ibiapina, Apuiarés, Granja, Guaraciaba do Norte e Morrinhos apontaram crise com falta de oxigênio para pacientes com Covid-19 durante o levantamento feito pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP). A entidade enviou questionários a 2,5 mil das 5.570 prefeituras do país. Destas, 574 responderam nestas quinta (18) e sexta-feira (19).

De acordo com os dados na FNP, pelo menos 76 municípios de 15 estados preveem escassez de oxigênio. As prefeituras desses locais responderam “sim” à pergunta “Seu município tem previsão de desabastecimento de oxigênio que poderá comprometer os serviços de saúde?” e relataram as situações específicas.

No Ceará, um dos locais com a situação mais preocupante é o município de Ibiapina, que declarou que já está sem oxigênio e recorre a cidades vizinhas para reposição.

As cidades de Granja, Guaraciaba do Norte e Morrinhos afirmaram ter estoque de oxigênio apenas para as próximas 48 horas. Em Apuiarés, a previsão é que, caso não aumente o número de pacientes, o município terá oxigênio para os próximos três dias.

Já Coreaú, informou que não tem estrutura para ficar com pacientes graves devido à previsão de desabastecimento de oxigênio e, mesmo assim, atualmente está com nove pessoas internadas. A secretária da saúde do município, Elizângela Mesquita, disse que com o aumento de casos a demanda cresceu consideravelmente e que a situação é “desesperadora”.

No último domingo (14), o governador do Ceará, Camilo Santana (PT) afirmou em nota nas redes sociais, que não há falta de oxigênio no Ceará, mas existe um ‘problema na entrega” aos municípios.

Informações do G1

Deixe uma resposta