Setores querem liberação de cinemas e horário mais amplo em restaurantes em novo decreto no Ceará

Os empresários do comércio e de bares e restaurantes estão buscando uma nova flexibilização para a economia do Ceará para a próxima semana. A partir de conversas com representantes do Governo do Estado, estes setores veem a expectativa de liberação do funcionamento dos cinemas e a ampliação de horário das empresas de alimentação fora do lar, até as 23 horas. 

Conforme apurou o Diário do Nordeste, os pleitos foram feitos em uma reunião prévia entre os empresários e o comitê de retomada econômica do Estado ontem (10).

De acordo com Assis Cavalcante, presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL), a liberação dos cinemas poderá ser um ponto importante para movimentar a econômica do Estado, além de reduzir a pressão psicológica na população por conta das medidas de restrição.

A proposta, que já havia sido feita semanas atrás, seria liberar entre 30% e 50% da capacidade dos cinemas no Estado, com o objetivo de evitar aglomerações nas salas de exibição.

“Estamos buscando a liberação dos cinemas, mesmo que seja só 30%, 40% ou 50% porque pode ser importante para dar uma perspectiva para as pessoas que estão ficando em casa. Além de movimentar um pouco da economia, mas sem gerar aglomerações”, disse Cavalcante. 

EXTENSÃO DE HORÁRIO

Já a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Ceará (Abrasel-CE) está pleiteando a ampliação de horário de funcionamento até as 23 horas. Segundo o presidente da instituição, Taiene Righetto, a medida poderá impulsionar a geração de empregos no setor e dar mais resistência financeira às empresas. Nossas conversas têm se baseado em aumentar esse funcionamento até as 23 horas. É uma marca crucial para termos uma melhora dos negócios e da empregabilidade do nosso setor”, disse.  TAIENE RIGHETTOpresidente da Abrasel-CE

Righetto também ressaltou os avanços gerados pelo processo de vacinação no Estado, projetando a possibilidade de que os bares e restaurantes possam, no futuro, voltar a operar com 100% da capacidade.

“Temos visto um avanço da vacinação e esperamos que não tenhamos um retrocesso na economia para podermos voltar a operar com 100% da capacidade no futuro”, comentou.

EVENTOS NO SEGUNDO SEMESTRE  

Já para o setor de eventos, a perspectiva é um pouco diferente, segundo a presidente do Sindicato das Empresas Organizadoras de Eventos e Afins do Estado do Ceará (Sindieventos-CE), Circe Jane Teles. Ela comentou que os empresários do setor já estão trabalhando para voltar a operar após a liberação dos eventos corporativos a partir do dia 14 de junho. Teremos uma abertura dos eventos corporativos, com um número reduzido, mas tivemos uma garantia do Estado que, se a vacinação continuar e tivermos a queda do número de casos, teremos novas flexibilizações de 14 em 14 dias. Então estamos trabalhando com essa perspectiva para o segundo semestre”, disse.  CIRCE JANEpresidente do Sindieventos-CE

PRÓXIMA REUNIÃO 

De acordo com o Governo do Estado, a próxima reunião do comitê de retomada deverá acontecer nesta sexta-feira (11). Contudo, segundo os empresários ouvidos pela reportagem, não há indícios se os representantes do Estado deverão acatar aos pleitos repassados na reunião da última quinta (10). 

SITUAÇÃO NA SAÚDE

No Ceará, segundo dados do IntegraSUS – plataforma que acompanha os indicadores de saúde no Ceará –, o Estado tem 88,97% de ocupação dos leitos de UTI. Já sobre os leitos de enfermaria, a ocupação é 61,85%. 

A última atualização, conforme indicação da plataforma foi feita às 14h da última quinta (10).

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta