“Unção da sacanagem”: pastor engolia sêmen de fiel para curar gastrite

O pastor ia até a casa da vítima e se trancava com ela em um quarto. O religioso passou a fazer sexo oral afirmando que havia sido curado

Preso preventivamente desde 22 de maio por violação sexual mediante fraude e extorsão, o pastor Sinval Ferreira (foto em destaque), 41 anos, está encarcerado no Centro de Detenção Provisória (CDP), no complexo penitenciário da Papuda.

Alvo de operação da Polícia Civil, o religioso simulava ser um profeta e ter revelações trágicas envolvendo a morte de parentes dos fiéis. Para livrá-los do infortúnio, os homens deveriam receber sexo oral e transar com o líder evangélico. Em um dos casos, o criminoso chegou a engolir o sêmen de uma das vítimas.

Simulando ter “premonições” e afirmando que filhos de um fiel poderiam morrer, o falso profeta garantia que a única forma de salvá-los seria fazendo uma espécie de unção no órgão sexual do pai das crianças que supostamente faleceriam. Na ocasião, o pastor ia até a casa da vítima e se trancava com ela em um dos quartos. Rezando e masturbando o fiel, o religioso passou a fazer sexo oral no integrante da igreja. O criminoso chegou a afirmar que, ao engolir o sêmen, havia sido curado de gastrite e feridas estomacais.

Geralmente, as “unções da sacanagem” ocorriam na casa da vítima, às quartas-feiras e aos domingos, quando aconteciam os cultos na igreja. Segundo as investigações da 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia), no âmbito da Operação Jeremias 23 — passagem bíblica que faz alusão aos falsos profetas —, o religioso usava a influência para abusar sexual e financeiramente dos fiéis que frequentavam a comunidade da qual ele é líder.

Fonte: Metrópoles

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.