Você sabe quanto o seu deputado federal vem custando?

Já se passaram seis meses de atividade dos eleitos em 2018, e com a premissa de economia que se instala no país em medidas como a da reforma da previdência, o contingenciamento de gastos em universidades federais ou o congelamento de concursos para cargos federais – o mesmo parece não está acontecendo aos gastos no parlamento.

Além do salário bruto de R$ 33.763 e da verba de gabinete R$ 111.675,59 para contratação de assessores, os deputados têm direito a uma cota mensal para cobrir ‘despesas da função’ de R$ 42.451,77. O que podemos exemplificar como tais gastos são: manutenção de escritório, aluguel de veículos, bilhetes aéreos, telefonia, alimentação, serviços postais e combustíveis. O benefício não é acumulativo, porém, caso o parlamentar ocupe uma função adicional como líder ou vice-líder do partido ou líder ou vice-líder do governo na Câmara dos Deputados lhe é ‘compensado’ com mais benefício financeiro.

Os 22 deputados federais cearenses contabilizaram um custo de mais de R$ 3 milhões para os cofres públicos com a cota parlamentar, com fonte assegurada do Portal da Transparência da Câmara dos Deputados. O total de gastos dos 513 deputados, por enquanto, supera R$ 68 milhões com a cota.

Vamos a lista dos 22 deputados federais do Estado do Ceará e seus respectivos gastos ao longo desses 6 meses:

Vaidon Oliveira (Pros): 231,7 mil;
Heitor Freire (PSL): 213,5 mil;
José Airton (PT): 206 mil;
Luizianne Lins (PT): 200,6 mil;
André Figueiredo (PDT): 200,5 mil;
Robério Monteiro (PDT): 189,3 ,mil;
Domingos Neto (PSD): 186,6 mil;
José Guimarães (PT): 175,6 mil;
Leônidas Cristino (PDT): 172,2mil;
Genecias Noronha (SD): 139,5 mil;
Capitão Wagner (Pros): 136.6 mil;
AJ Albuquerque (PP): 129 mil;
Pedro Bezerra (PTB): 127,7 mil;
Eduardo Bismark (PDT): 117,4 mil;
Moses Rodrigues (MDB): 110,2 mil;
Célio Stuart (PV): 94,2 mil;
Aníbal Gomes(DEM): 21,3 mil.

Comunicação Forte

É de se espantar que o maior gasto da bancada cearense seja com autopromoção da imagem ou trabalho dos nossos parlamentares, os deputados cearenses gastaram pela cota mais de R$ 769 mil distribuído entre criação de artes, impressão de materiais e até compra de espaço em rádios, por exemplo, para o deputado falar sobre seu trabalho. Se ‘propaganda é alma do negócio’, certamente os parlamentares do Estado do Ceará incorporaram bastante esse ditado para o âmbito da política.

Samuel Linhares

Jornalista Samuel Linhares.

Deixe uma resposta