Após polêmica sobre proximidade com cabos de internet, empresas de telecomunicações avaliam mudança do local onde seria usina, em Fortaleza

A usina vai mudar de lugar para ficar mais distante dos cabos subterrâneos de internet que passam pelo local. Tema já foi embate entre empresas e Governo do Ceará, pelo risco de interromper as conexões de internet que conectam a América Latina à Europa.

A mudança no local onde seria construída a usina de dessalinização em Fortaleza foi recebida com satisfação pelos representantes do setor de telecomunicações ouvidos pelo g1. O projeto do Governo do Ceará foi motivo de embates com as empresas de telecomunicações pela proximidade da estrutura com os cabos subterrâneos de internet, que conectam a América Latina com a Europa.

A usina vai continuar localizada na Praia do Futuro, mas será instalada a mais de 1.000 metros do local onde estava previsto, o que, conforme os responsáveis pelo projeto, vai afastar qualquer risco de interferência da usina nos cabos oceânicos. A estrutura de captação das águas do mar também vai ser deslocada junto com a usina.

No local onde era prevista a construção, o governo estadual prevê instalar um centro de ensino tecnológico.

Confira os posicionamentos
TelComp

Luis Henrique Barbosa, presidente executivo da Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas (TelComp), disse que via o tema com preocupação por conta da proximidade entre a usina e os cabos submarinos. A TelComp representa empresas de data center e cabos submarinos:

“A notícia de que o Governo tomou a decisão de transferir a usina para um outro terreno na Praia do Futuro satisfaz, sim, o setor de telecomunicações e mitiga os riscos. A gente entende que essa é uma solução pacificadora para o tema”.
Angola Cables

Em nota, a Angola Cables disse que está acompanhando atentamente as decisões dos órgãos competentes em relação à mudança de local da usina.

“A solução apresentada parece se enquadrar de forma positiva para todas as partes envolvidas, garantindo que, por via do centro tecnológico, estejam igualmente dando passos importantes para criar mais incentivos para que empresas e profissionais fixem seus projetos na região.”
Anatel:

Já a Anatel disse que ainda não recebeu nenhum comunicado formal sobre eventual ajuste do projeto por parte do Governo do Estado. A Agência aguarda maiores informações.

O g1 ainda aguarda posicionamento da Conexis, associação onde estão operadoras Claro, Vivo, Tim, Oi, Algar Telecom e Sercomtel.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.