Blogueiro sobralense condenado por tentativa de explosão em Brasília tem multa perdoada pela Justiça

Indulto foi concedido pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal

blogueiro cearense Wellington Macedo de Souza não precisará pagar uma multa de R$ 9,6 mil, estabelecida pelo envolvimento na tentativa de explosão de uma bomba nos arredores do Aeroporto Internacional de Brasília, em 2022. O indulto foi concedido pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT).

Macedo foi preso em Cidade do Leste, no Paraguai, em setembro de 2023, depois de cerca de oito meses foragido. Nesse período, ele foi condenado a seis anos de prisão, em regime inicialmente fechado. A sentença também estabeleceu a multa de R$ 9,6 mil.

O perdão da multa foi uma solicitação da defesa do blogueiro, que alegou que o débito fiscal e extrafiscal mínimo para ajuizamento de execuções fiscais pela Fazenda Nacional precisa ter valor consolidado igual ou superior a R$ 20 mil. Como o valor para o réu era menor que essa quantia, o juiz da Vara de Execuções Penais (VEP), Milson Barbosa, concedeu o indulto. Na decisão, o magistrado destacou que o Ministério Público opinou pela concessão.

Mesmo com o perdão do valor, o cearense seguirá em regime fechado. Ele cumpre a pena no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal.

Em depoimento à CPI na Câmara Legislativa do Distrito Federal (DF), em outubro de 2023, o blogueiro disse ser “vítima de uma trama diabólica”. Ele afirma não ter sido sua ideia tentar explodir caminhão em Brasília em dezembro de 2022, mas do comparsa Alan Diego dos Santos. Ambos foram condenados pelo crime, e o jornalista nega saber da existência dos explosivos no carro.

RELEMBRE O CASO

Segundo as investigações policiais, Macedo usou o próprio carro para, na véspera do Natal de 2022, levar Alan Diego dos Santos, que carregava a bomba, às proximidades do aeroporto de Brasília, e ajudar a colocar o artefato dentro de um caminhão com querosene. No entanto, devido a uma falha técnica na montagem, a explosão acabou não se concretizando.

Apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), o cearense foi condenado por expor a perigo de vida a integridade física de outros mediante explosão, arremesso ou colocação de engenho de dinamite ou de substância de efeitos análogos.

“O crime foi premeditado. O acusado conheceu pelo menos um dos co-autores em Brasília, no acampamento montado em frente ao QG do Exército. As emulsões explosivas vieram do Pará, a pedido de George [Washington], o qual, após a montagem, entregou o artefato explosivo para Alan [dos Santos], que, por sua vez, ligou para o acusado e se encarregaram de tarefa importante, a colocação do artefato no local escolhido”, escreveu o juiz na sentença.

QUEM É WELLINGTON MACEDO?

Macedo foi candidato a deputado federal pelo PTB nas eleições gerais do ano passado. Ele é apoiador do ex-presidente Bolsonaro e chegou a integrar o quadro de comissionados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, dissolvido no início deste ano, mas que era comandado pela então ministra Damares Alves.

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.