Diretor da Escola de Música de Sobral rebate críticas da imprensa sobralense

O Diretor da Escola de Música de Sobral, José Brasil manifestou em sua rede social seu posicionamento sobre as críticas da imprensa de Sobral, quanto a redução da carga horário dos professores da escola, bem como o fechamentos das turmas do período noturno, confira na integra.
Não podendo admitir os equívocos, ou maldades, me cabe – como gestor público e atual diretor da Escola de Música de Sobral – esclarecer alguns pontos.
1. As atividades da ESCOLA DE MÚSICA MAESTRO JOSÉ WILSON BRASIL sempre foram tratadas pela gestão municipal como investimento social, educativo, cultural e como importante atividade de ampliação da jornada escolar. Sempre teve grande empenho da Secretaria da Cultura e do Turismo, à qual está vinculada  e se configura como uma das mais exitosas ações da pasta, não cabendo, portanto dúvidas sobre a importância do equipamento na estrutura da prefeitura.
2. Recentemente foi feito um grande investimento em melhorias na estrutura do prédio que abriga a escola, com a substituição de TODOS os aparelhos de ar condicionado, restauração ou substituição de grande parte do mobiliário.
3. Não podemos negar as dificuldades enfrentadas pelas administrações municipais de todo o país e, nesse momento de grande dificuldade, nos unimos em um esforço de minimizar os danos à sociedade. Assim a decisão de manter o funcionamento da nossa escola de música confirma o compromisso do Prefeito Veveu, bem como seus antecessores, em garantir a continuidade dessa atividade que, completa 18 anos em 2015 e já tem a qualidade do trabalho reconhecida, seja em Sobral, no Ceará, no Brasil e até a nível internacional.
4. Algumas (poucas) atividades da ESCOLA DE MÚSICA MAESTRO JOSÉ WILSON BRASIL, muito por conta da grande demanda, precisaram ser suspensas como foi o caso dos cursos noturnos. Nosso compromisso foi remanejar os alunos para outros horários, dentro de suas disponibilidades, o que provocou uma superlotação nos turnos da manhã e da tarde. Esse remanejamento acabou por penalizar algumas atividades e nos impossibilitou de receber novos alunos. NÃO HOUVE, portanto, corte nas matriculas de novatos, como vem sendo vinculado em alguns meios de comunicação. 
A Escola continua funcionando, atendendo a mais de 600 alunos e esperamos que essa situação especial seja o mais rapidamente resolvida para recebermos a todos os que nos procuram garantindo o acesso ao ensino da música às crianças e aos jovens como temos feito ao longo de todos esses anos.