Juiz nega liberdade para PM que matou jovem em delegacia de Camocim

O policial militar George Tarick de Vasconcelos Ferreira, suspeito de matar um jovem dentro de uma delegacia em Camocim, teve o pedido de liberdade negado pela Justiça.
O agente está preso desde fevereiro, quando matou a tiros o jovem Mateus Silva Cruz, de 19 anos.
Na ocasião, o agente e a vítima foram levados para a unidade da Polícia Civil após uma discussão em uma festa. À época, o policial chegou a alegar em depoimento que assassinou o jovem “em um momento de fúria, levado por violenta emoção”.
Três dias após o crime, Tarick foi afastado preventivamente das funções, conforme decisão da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública (CGD). Ele também foi indiciado por homicídio qualificado e se encontra preso no 5º Batalhão da Polícia Militar de Fortaleza.

O advogado do policial deu entrada em um pedido de liberdade, alegando excesso do prazo do processo.

O juíz responsável pelo caso justificou que não houve excesso de prazo no processo e decidiu por manter sobre a prisão do agente.

A defesa também cobrou o andamento do processo contra Tarick na Controladoria.
A CGD informou que a Delegacia de Assuntos Internos (DAI) pediu a Justiça a prorrogação do prazo para a conclusão do inquérito policial, com a finalidade de maiores apurações sobre o caso.
Ainda segundo a Controladoria, o agente continua afastado e foram instaurados procedimentos disciplinares para a apuração dos fatos na seara administrativa, estando estes, atualmente, em trâmite processual.
O pai da vítima, o comerciante Eglício de Souza Cruz, espera que além do PM que fez os disparos, outras pessoas sejam responsabilizadas pelo crime, pois Mateus estava sob a custódia da Polícia Civil quando foi atacado.
Informações: G1 CE
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.