Menina de 4 anos recebe novo coração e deixa hospital após 1 ano internada

Amália Vitória Maciel é natural de Parnaíba, no Piauí, mas fazia tratamento no Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), em Fortaleza. A criança esperou 8 meses pelo órgão.  

A pequena Amália Vitória Maciel, de 4 anos, finalmente ganhou um nova chance para recomeçar: após 1 ano e 4 meses internada no Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), em Fortaleza, ela recebeu a doação de um novo coração.

Foram oito meses de espera até a chegada de um órgão compatível. No dia 4 de abril, a pequena fez a cirurgia.

Conforme informações da Secretaria da Saúde, Amália, que é natural de Parnaíba, no Piauí, enfrentou momentos muitos delicados desde que entrou na fila de espera pelo órgão.

Diagnosticada com uma cardiopatia congênita complexa, tipo ventrículo único, a menina passou por duas cirurgias cardíacas, que não trouxeram o resultado esperado.

Por isso, a paciente permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) durante quase toda a internação.

O cuidado continua

Mesmo com a alta, os cuidados ambulatoriais e domiciliares serão mantidos e reforçados. A cardiologista e chefe da Enfermaria Pediátrica do HM, Isabel Cristina Leite, explica que, após o transplante cardíaco, os pacientes continuam sendo acompanhados periodicamente, já que passam a fazer uso de medicações para o resto da vida.

De acordo com a médica, Amália já iniciou a reabilitação cardíaca com a equipe de Fisioterapia. Ela irá cerca de duas vezes por semana ao hospital para exames periódicos. “Esse acompanhamento é fundamental para atestar a recuperação dos pacientes, para prevenir infecções e para acompanhar a rejeição do organismo ao novo coração”, disse Isabel Cristina.

A despedida da menina do hospital foi um momento de muita emoção.

“Ela e os pais ensinaram para toda a equipe do hospital o significado de cuidado, dedicação, perseverança, resiliência, fé e amor. É uma alegria muito grande vê-la saindo pela porta da frente, com novos batimentos”, disse a médica e coordenadora do Serviço de Cardiologia Pediátrica do HM, Klébia Castelo Branco.

A mãe da criança também se emocionou. “Vocês foram nossa família durante esse longo período. Não temos como descrever a alegria por poder levar nossa filha para casa. A ficha não caiu. Estamos muito felizes, mesmo sabendo de todos os cuidados e das visitas semanais a serem feitas ao hospital. É um alívio muito grande poder sair com ela”, disse Ana Maria Maciel.

Fonte: G1 Ceará

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.