Professores da rede estadual suspendem greve no Ceará

Após 107 dias, a greve dos professores da rede estadual de educação foi suspensa nesta terça-feira, 9. A decisão foi tomada durante a manhã, em assembleia com cerca de 2 mil professores, no Ginásio Paulo Sarasate, no bairro Dionísio Torres. O reajuste de 12,67% no salário-base, principal reivindicação da categoria, não recebeu contraproposta do Governo.
Segundo Anízio Melo, presidente do Sindicato dos Professores e Servidores de Educação e Cultura do Estado e Municípios do Ceará (Apeoc), houve resistência dentro da categoria para a suspensão da greve, formalizada no dia 25 de abril. “Não estamos satisfeitos, mas entendendo a pressão da opinião pública e nosso compromisso com a educação, resolvemos suspender exigindo que o Governo cumpra esse mínimo obtido. Não aceitaremos nenhum tipo de retaliação dos professores que ficaram na luta”, disse.
Muitos professores que participaram da assembleia não acordaram o fim da greve e relataram houve fraude na votação. Alguns deles afirmaram que as aulas não serão retomadas, pois o fim da paralisação foi decidido pelo sindicato. O presidente da Apeoc saiu do local sob escolta devido ao confronto entre professores contrários à suspensão da greve e a direção do sindicato.
Segundo Anízio, os professores continuarão reivindicando o cumprimento dos pontos acordados, como publicação imediata do decreto que regulamenta a Lei da Descompressão e aumento da regência de classe. “No caso dos professores, a recomposição salarial é 5% na remuneração e 5% na regência de classe para os ativos e aposentados. Em média, há um ganho remuneratório que oscila entre 5% e 11%”, explica.
Anízio afirma que 80% das escolas já retomaram as aulas, mas o calendário do restante das unidades será definido a partir desta quarta-feira, 10. “O retorno das aulas fica a cargo das escolas. Claro que as ocupadas precisarão de mais tempo”, frisa.
Os municípios com o maior número de escolas com professores que aderiram à greve são Sobral, Russas, Horizonte, Maracanaú e Fortaleza.
Com informações do O Povo

- Advertisement -

Deixe uma resposta