Respeito ao isolamento social é necessário para conter avanço da doença

Desde o início da pandemia de coronavírus, o Governo do Ceará, por meio da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), trabalha para conter a transmissão da Covid-19 e garantir um atendimento de qualidade à população cearense. Adotado no enfrentamento à doença, o isolamento social tem sido eficaz para evitar o aumento de casos em Fortaleza e no interior.

Na última quinta-feira (28), o governador do Ceará Camilo Santana apresentou o Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais e anunciou que irá renovar o decreto de isolamento social, com a recomendação de medidas mais rígidas para algumas cidades do interior do Estado. “Irei renovar o decreto em todo o Estado do Ceará. Inclusive, a partir de recomendações da Secretaria da Saúde, vamos sugerir ou determinar que alguns municípios do interior adotem um isolamento mais restritivo”, ressaltou Camilo.

Além de reduzir consideravelmente o número de casos percentuais, o isolamento também permitiu que o Estado pudesse ampliar o número de leitos no sistema de saúde. Ao todo, são mais de 2.300 leitos exclusivos para atendimento de Covid-19 em todo o Ceará. “Não há dúvidas da importância do isolamento social e sua repercussão no sistema de saúde”, garante o secretário da saúde do Estado, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho (Dr. Cabeto).

O Ceará possui 37.954 casos confirmados de Covid-19. Desses, 21.390 foram notificados em Fortaleza. Os dados estão disponíveis no IntegraSUS, plataforma de transparência da Sesa. Especialistas alertam que, para evitar o avanço da doença no interior do Estado, é fundamental o respeito ao isolamento social.

A atitude também contribui para que o sistema de saúde não seja sobrecarregado e consiga atender com eficiência e agilidade os pacientes. “A velocidade da contaminação pode elevar rapidamente o número de casos. Com o agravamento desses casos, ainda que haja aumento na estrutura física, pode haver sobrecarga das equipes assistenciais”, explica a coordenadora do Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Regional Norte (HRN), Diana Muniz.

O neurologista do HRC, Gustavo Vieira Rafael, reforça a importância do isolamento social para a saúde da população. “Existem as outras comorbidades que não deixaram de existir, como o AVC e o infarto, que são provocados inclusive por diabetes, hipertensão, obesidade, fatores de risco de maior mortalidade em pacientes que adquirem Covid-19. Com a falta do isolamento social, o número de contaminados cresce vertiginosamente, lotando os leitos de hospital. Dessa forma, pacientes com essas outras patologias são penalizados por falta de leito”, explica.

Investimento em infraestrutura

No interior do Estado, o Governo do Ceará criou novos leitos em diversos municípios, com destaque para o reforço na estrutura do Hospital Regional Norte (HRN), Hospital Regional do Cariri (HRC) e Hospital Regional do Sertão Central (HRSC). As unidades da rede estadual são polos de atendimento a casos suspeitos e confirmados de Covid-19 e oferecem, juntas, 163 leitos de enfermaria e 164 leitos de UTI.

Após passar 16 dias internada na enfermaria clínica e na Unidade de Terapia Intensiva Covid do Hospital Regional do Sertão Central, Maria do Socorro Alves Bessa (68) recebeu alta hospitalar. “Quero agradecer primeiramente a Deus, a minha família e a todos os profissionais de saúde que cuidaram de mim”, disse a paciente, que mora em Quixadá.

- Advertisement -

Deixe uma resposta