Universidades britânicas recebem inscrições de estudantes brasileiros para ano letivo 2020/21

O Reino Unido vem se destacando há anos como um dos principais destinos para quem busca educação internacional de qualidade. Há quatro universidades britânicas entre as top 10 no mundo e 18 delas estão entre as top 100. Em relação aos formados por estas instituições, mais de 50 líderes mundiais da atualidade se beneficiaram de alguma forma do ensino superior britânico e 83% dos graduados estrangeiros que participaram de estudo da Universities UK International (UUKi) disseram que o diploma ajudou a conseguir seu emprego.

Neste momento de pandemia da covid-19, as universidades britânicas adotaram medidas para enfrentar esse novo desafio, adaptando o modelo de aulas e pesquisa, garantindo o bem-estar de alunos internacionais e a continuidade do ensino de qualidade. Além disso, o governo britânico lançará em 2021 a “new Graduate route”, uma oferta mais robusta para estudantes internacionais, que vai permitir aos estudantes a permanência no Reino Unido até dois anos após o término de seu curso de pós-graduação, incluindo a possibilidade de trabalharem durante este período (https://homeofficemedia.blog.gov.uk/2019/10/14/fact-sheet-graduateimmigration-route).

“Embora os processos de admissão e as formas de ensino sejam diferentes, se adaptando a realidade que vivemos, as universidades britânicas continuarão abertas a estudantes internacionais, primando pelo ensino de qualidade. Isso se aplica tanto para alunos internacionais indo para o Reino Unido para estudar, quanto para parcerias de educação transnacional. As instituições serão flexíveis para lidar com situações diferentes, como a impossibilidade do estudante viajar para o Reino Unido no início do ano letivo”, explica Barbara Lotierzo, Gerente da área de Educação do Governo Britânico no Brasil.

As instituições também estão assegurando a seus futuros estudantes que suas qualificações continuarão a ter validade internacional, sejam as aulas realizadas no modo tradicional, online ou de forma híbrida. Uma pesquisa recente realizada por universidades britânicas detectou que 97% delas planejam fornecer algum tipo de aula presencial (em grupos pequenos), no início do ano letivo, que, para o Reino Unido, se inicia no mês de setembro.

Neste período de pandemia, os estudantes notarão que o uso de máscaras no transporte público se tornou obrigatório e será encorajado em outros locais fechados, onde o distanciamento social não é possível.

O serviço nacional de saúde britânico (National Health Service – NHS) tem cuidado de estrangeiros neste período e vai continuar. Ele já está disponível gratuitamente para estudantes de todos os países e nenhuma taxa é cobrada pelo teste, mesmo que ele dê negativo. O tratamento para os que testarem positivo também não tem nenhum custo. Mais informações sobre o serviço podem ser pesquisadas online: www.111.nhs.uk/covid-19.

Ressalta-se ainda que, a fim de manter todas as medidas de segurança e o número de transmissões o mais baixo possível, todas as chegadas internacionais ao Reino Unido terão de fornecer contato e informação sobre sua acomodação na imigração e se isolar no local nos primeiros 14 dias após o desembarque.

- Advertisement -

Deixe uma resposta